Bahia vence Unión Santa Fé e larga na frente por vaga nas quartas da Sul-Americana
patrocinado por

Bahia vence Unión Santa Fé e larga na frente por vaga nas quartas da Sul-Americana

Triunfo por 1 a 0 dá direito a jogar pelo empate na próxima terça-feira, na Argentina

AE

Bahia joga por empate na próxima terça-feira para ir às quartas da Sul-Americana

publicidade

O Bahia sofreu, mas conseguiu aproveitar o fator casa na primeira partida das oitavas de final da Copa Sul-Americana. Na noite desta terça-feira, na Fonte Nova, em Salvador, os brasileiros venceram o argentino Unión, de Santa Fé, por 1 a 0, e largaram com o pé direito na luta pela vaga na próxima fase.

O encontro de volta será às 19h15 da próxima terça-feira (1.º), no Estádio 15 de Abril, em Santa Fé. Se os argentinos devolverem o placar, haverá disputa de pênaltis, enquanto qualquer derrota pela vantagem mínima com gols é suficiente para os nordestinos. Quem avançar enfrentará o classificado de Vasco x Defensa y Justicia.

Sem poder contar com o técnico Mano Menezes, os auxiliares Sidnei Lobo e James Freitas e o goleiro Mateus Claus, que receberam, apenas no final da tarde desta terça-feira, resultados positivos para a covid-19, o Bahia entrou em campo sendo comandado pelo auxiliar técnico Cláudio Prates e também sem o volante Edson, que divide quarto com o goleiro e ficou de fora por precaução.

Em meio a esse cenário, atuando dentro de casa, os nordestinos conseguiram controlar as ações na maior parte da etapa inicial. Logo aos quatro minutos, Gregore acionou Fessin em velocidade, que entrou dentro da área e bateu rasteiro, parando em boa defesa de Moyano. Já aos 15, após bela troca de passes, Nino Paraíba cruzou bonito para Gilberto, que fez o cabeceio e exigiu intervenção em dois tempos do goleiro adversário.

As melhores chances, porém, foram argentinas, já no fim. Aos 38, Cabrera cobrou escanteio, e a bola ficou pingando dentro da área. Galván conseguiu tocar de cabeça, mas Douglas Friedrich foi buscar e viu a redonda pegar no travessão. Aos 40, García bateu cruzado e parou em grande defesa do goleiro. No rebote, Carabajal pegou de primeira e exigiu milagre do arqueiro brasileiro, garantindo o empate parcial.

A etapa complementar deu sequência ao que vinha acontecendo. Tanto que, logo no primeiro minuto, Cañete arriscou de muito longe. Douglas Friedrich, porém, só conseguiu fazer a defesa em dois tempos. Logo na sequência, aos quatro, Carabajal, da intermediária direita ofensiva, fez cruzamento na medida para Nardoni, que, fechando no segunda trave, escorou para fora, desperdiçando oportunidade clara.

Em situação delicada, o Bahia, aos 15, queimou três alterações visando deixar um time mais experiente em campo e, ainda, com fôlego novo. Entraram, assim, Elias, Rossi e Rodriguinho. As mudanças surtiram efeito imediato, com o time passando a controlar o ritmo. A dificuldade, porém, era conseguir criar e ameaçar efetivamente. Isso aconteceu somente aos 32, quando Gilberto converteu pênalti sofrido por Rossi, derrubado na área pelo goleiro Moyano.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895