Boca Juniors despacha o Cerro e vai às quartas da Libertadores
capa

Boca Juniors despacha o Cerro e vai às quartas da Libertadores

Empurrados pela Bombonera e comandados por Tevez, argentinos venceram por 3 a 1

Por
AE

Na Bombonera, argentinos fizeram 3 a 1

publicidade

O Boca Juniors voltou a vencer o Cerro Porteño nesta quinta-feira, e despachou os rivais da Libertadores. Empurrado pela torcida na Bombonera, aplicou  3 a 1  e se garantiu nas quartas de final. Após triunfar por 2 a 1 no Paraguai, a equipe suou mais do que o esperado e teve que suportar certa pressão no início do segundo tempo, mas contou com nova grande atuação de Carlitos Tevez para se classificar.

Como na primeira partida, Tevez marcou um gol e deu assistência para outro, de Pavón. E é embalado pela qualidade de seu principal jogador que o time argentino chega às quartas como um dos favoritos ao título. Agora, vai encarar o Nacional, do Uruguai, que eliminou o Corinthians nas oitavas de final.

Se a situação do Cerro Porteño já era difícil nesta quinta-feira, o Boca Juniors tratou de complicá-la ainda mais logo de cara. Aos dois minutos, Carrizo entrou na área pela esquerda, pedalou e foi calçado por Bonet. O árbitro brasileiro Wilton Pereira Sampaio viu o pênalti, Tevez bateu no meio do gol e abriu o placar para os donos da casa.

O jogo parecia controlado pelo time argentino, mas o Cerro Porteño empatou em sua primeira ida ao ataque. Aos 12 minutos, Leal tabelou com Domínguez pela esquerda e cruzou rasteiro. A defesa vacilou e Rodrigo Rojas chegou batendo no meio da área, entre as pernas de Órion.

No começo do segundo tempo, o Cerro Porteño quase virou. Domínguez recebeu na área e finalizou em cima de Órion. Mas o domínio era mesmo do Boca Juniors, que respondeu na sequência. Carrizo deu linda enfiada de bola para Pérez, que tocou com muito perigo. Mais dois minutos e foi a vez de Tevez entrar sozinho na área e bater rente à trave.

O Cerro Porteño tentava equilibrar e levou perigo aos 24 minutos, em cobrança de falta da intermediária de Leal, que obrigou Orion a fazer grande defesa. Só que a defesa paraguaia não conseguia tirar os espaços do Boca Juniors e foi assim que os argentinos marcaram aos 27. Tevez recebeu na intermediária e deu ótima enfiada para Pavón, que bateu cruzado para vencer Silva.

Gol que desanimou o Cerro Porteño, mas ainda assim os paraguaios tentaram uma última pressão. Aos 33 minutos, Ortigoza quase fez um golaço, mas Orion voou para salvar. Só que Valdez foi expulso e acabou de vez com qualquer chance de reação. O Boca Juniors, então, selou a vaga com o gol de Pérez, aos 44.