CBF retira os três pontos do Palmeiras na partida contra o Botafogo
capa

CBF retira os três pontos do Palmeiras na partida contra o Botafogo

Entidade atendeu determinação do STJD para que não homologasse resultado até julgamento do caso

Por
Correio do Povo e AE

Botafogo entrou com pedido de anulação do resultado do jogo por conta de uma polêmica envolvendo o VAR

publicidade

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) acatou a determinação do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), suspendendo de forma temporária, a partida entre Palmeiras e Botafogo, realizada no último domingo e válida pela sexta rodada do Brasileirão.

Em razão disso, a CBF atualizou a tabela de classificação retirando os três pontos da equipe paulista. O time treinado por Luiz Felipe Scolari permanece na liderança: 13 pontos e cinco jogos disputados, uma partida a menos que as outras equipes, excetuando-se o Botafogo. Em razão da suspensão do jogo, a diferença do Palmeiras para o segundo colocado - Atlético-MG - caiu de quatro para um ponto. A tabela do campeonato foi alterada às 12h47min desta quarta, conforme consta no site da entidade.

Na noite dessa terça o STJD confirmou o acolhimento do pedido do Botafogo, referente ao pedido de impugnação da partida contra o Palmeiras. O presidente do STJD, Paulo César Salomão Filho, despachou sobre o pedido do clube carioca. Ele recebeu a impugnação e comunicou à Confederação Brasileira de Futebol (CBF) para que não homologue o resultado da partida contra o Palmeiras. 

Salomão Filho determinou a intimação do Palmeiras, para que o clube paulista se manifeste no prazo de até dois dias úteis e que, após isso, seja aberto prazo para manifestação na Procuradoria da Justiça Desportiva. O processo deve ser julgado na próxima sessão do Pleno a ser agendada.

Pedido foi protocolado por conta de decisão do VAR

O Botafogo entrou no STJD na última segunda-feira com um pedido para anular o resultado do jogo contra o Palmeiras. O órgão, então, pediu à CBF no dia seguinte para não homologar o resultado da partida e intimou o clube paulista para se manifestar sobre o caso no prazo de até dois dias. O time carioca reclama que o juiz paranaense Paulo Roberto Alves Junior não poderia ter usado o árbitro de vídeo (VAR) no lance de pênalti que originou o gol da vitória do Palmeiras por 1 a 0. A queixa do clube não é pela marcação, mas sim por entender que a partida já havia sido reiniciada quando foi interrompida para a revisão da jogada.

O procedimento é irregular, segundo a cartilha de VAR escrita pela Fifa. No despacho, o presidente do STJD afirmou que o pedido do Botafogo foi encaminhado no prazo e que o tema cumpre os requisitos para ser analisado. "Recebo a presente impugnação e determino que se dê imediato conhecimento da instauração do processo ao Presidente da Confederação Brasileira de Futebol, para que não homologue o resultado da partida", escreveu Salomão Filho.

O presidente determina que o caso seja julgado com "prioridade" na próxima sessão do Pleno do STJD, em junho. Depois da primeira manifestação do Palmeiras sobre o caso, o próximo passo será abrir um prazo para outra manifestação, desta vez da Procuradoria da Justiça Desportiva.