Chapecó salva no fim, e Grêmio e Inter ficam no 0 a 0 no Gre-Nal 433
patrocinado por

Chapecó salva no fim, e Grêmio e Inter ficam no 0 a 0 no Gre-Nal 433

Em jogo amarrado, goleiro gremista impediu o Colorado, que criou as melhores chances, de vencer o clássico

Correio do Povo

publicidade

Num jogo de detalhes e com o brilho do jovem goleiro gremista Chapecó, Grêmio e Inter empataram por 0 a 0 no Gre-Nal 433 na tarde deste sábado, na Arena, pela 11ª rodada do Brasileirão. O resultado, que não é bom para ninguém, acaba sendo pior para o Tricolor, que na estreia de Felipão, segue na lanterna e sem vencer na competição - são três pontos em nove jogos. O Colorado, que teve mais ímpeto ofensivo e "lamentou" os gols perdidos no fim, permanece na 14ª colocação - onze pontos em onze jogos, e ainda não "engrenou" com o técnico Diego Aguirre. 

Com os dois times pressionados por suas torcidas, a expectativa era por um clássico amarrado. Isto de fato, ocorreu, apesar de ambos contarem com os talentosos Taison e Douglas Costa desde o começo. Porém, quando conseguiu colocar a bola no chão, as melhores chances de toda a partida ficaram a cargo do Inter. O ataque colorado, especialmente com o atacante Yuri Alberto, parou nas mãos do jovem goleiro Gabriel Chapecó. Em três oportunidades, Chapecó salvou a barra gremista em lances de dentro da área e garantiu a igualdade no placar. 

Sem muito tempo para treinar, agora, a Dupla foca sua atenção nas competições internacionais. O Tricolor encara a LDU, às 19h15min, na terça-feira, pela ida das oitavas da Copa Sul-Americana, em Quito. No Paraguai, o Colorado enfrenta o Olimpia, na quinta-feira, às 21h30min, pelo jogo de ida das oitavas da Libertadores.

Jogo amarrado

Com jogadores de maior capacidade defensiva, o Grêmio se colocou em campo para primeiro organizar a defesa e depois atacar. Do lado colorado, a intenção era ter a bola, não sofrer perigo, mas ser agressivo nas oportunidades que aparecessem. Neste cenário, o Colorado foi quem mais criou na primeira etapa e levou perigo ao goleiro Gabriel Chapecó.

Logo aos 3 minutos, o atacante Yuri Alberto recebeu lançamento e finalizou forte cruzado para grande defesa do jovem arqueiro. O Tricolor explorava as bolas longas e a qualidade da bola no pé de Douglas Costa, mas teve dificuldade para as jogadas armadas.

Sem confiança para lances de efeito, a partida ficou congestionada no meio de campo e a cada perdida de bola, as oportunidades ameaçavam surgir. Aos 21, com ampla vantagem numérica, o Inter chegou. No entanto, na hora do passe, Edenilson exagerou na força e a bola passou por Yuri Alberto. Aos 25, de novo o atacante colorado finalizou da entrada da área e mandou para fora. Quando recuperou a bola pelo meio, aos 30, foi a vez gremista de se equivocar no passe. Douglas Costa buscou o ponta Ferreira livre na direita, mas tocou em cima da marcação.

Na melhor chance do jogo na primeira etapa, Chapecó salvou. Depois de troca de passes, Patrick tocou na medida para Taison, que finalizou, mas viu o goleiro "crescer" para cima dele. Aos 45 minutos, Ferreira fez jogada totalmente individual pela direita, passou por Saravia e finalizou ao seu estilo. A bola foi fraca nas mãos de Daniel. No lance, o atacante caiu sentindo e precisou ser substituído.

Chapecó brilha

Aguirre e Felipão promoveram trocas em suas equipes para a segunda etapa. No lado colorado, Taison, retornando de lesão, deu vaga para Gabriel Boschilia. Na parte gremista, Ferreira deixou o campo lesionado e Léo Pereira foi o escolhido.

O jogo seguiu truncado nos primeiros minutos do primeiro tempo. Porém, o Inter seguia mais "aceso" nas chances de ataque, principalmente com Yuri Alberto, e rodava mais as bolas no ataque. Aos 17 minutos, Chapecó apareceu novamente em finalização de Yuri de fora da área. 

Aos 20, Aguirre colocou em campo Galhardo e Paulo Victor, nas vagas de Moisés e Caio Vidal. Felipão respondeu com Jean Pyerre e Ricardinho, nos lugares de Diego Souza e Douglas Costa. Por exaustão, Edenilson e Rafinha foram substituídos. Johnny e Vanderson entraram. A luta na meia cancha seguia, mas a medida que o tempo avançava e o físico se desgastava, ambas as equipes iam aceitando o placar. 

O perigo, no lado gremista, apareceu em uma arremate de Fernando Henrique, na sobra de cruzamento. A bola passou perto da meta de Daniel aos 36 minutos. Do lado colorado, aos 41 minutos, novamente Chapecó salvou o Grêmio. Patrick encontrou Yuri Alberto livre na área, que soltou a bomba e o arqueiro tricolor fez enorme defesa. Aos 45, a bola sobrou limpa para Patrick, que finalizou de primeira e o goleiro salvou de novo. Apesar da maior ofensividade colorada, a partida encerrou em igualdade. 

Chapecó salvou o Grêmio em duas ocasiões no Gre-Nal / Foto: Fabiano do Amaral 

 

Campeonato Brasileiro - 11ª rodada - Gre-Nal 433

Grêmio 0

Gabriel Chapecó; Rafinha (Vanderson), Pedro Geromel, Kannemann e Bruno Cortez; Fernando Henrique, Victor Bobsin, Douglas Costa (Jean Pyerre), Alisson e Ferreira (Léo Pereira); Diego Souza (Ricardinho). Técnico: Luiz Felipe Scolari

Inter 0

Daniel; Saravia, Cuesta, Bruno Méndez e Moisés (Paulo Victor); Rodrigo Dourado, Patrick, Edenilson (Johnny), Taison (Boschilia) e Caio Vidal (Galhardo); Yuri Alberto. Técnico: Diego Aguirre
 
Cartões amarelos: Bruno Méndez e Dourado (Inter) Bobsin (Grêmio)
Arbitragem: Flávio Rodrigues de Souza (SP)
Auxiliares: Daniel Paulo Zolli e Daniel Luis Marques (SP)
VAR: Marcio Henrique de Gois (SP)
Data e Horário: 10 de julho, às 16h30min. 
Local: Arena do Grêmio, Porto Alegre (RS)

Veja Também


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895