Com gol de Messi e homenagem a Maradona, Barcelona goleia o Osasuna
patrocinado por

Com gol de Messi e homenagem a Maradona, Barcelona goleia o Osasuna

Time catalão fez 4 a 0 no Camp Nou

AE

publicidade

O Barcelona se reabilitou no Campeonato Espanhol ao superar, com facilidade, o Osasuna neste domingo. Em casa, no Camp Nou, o time catalão não encontrou dificuldade para golear adversário por 4 a 0, em duelo da 11ª rodada, marcado por golaços. Braithwaite, Griezmann, Philippe Coutinho e Messi anotaram os gols do triunfo.

A partida foi antecedida por homenagens a Diego Maradona, que defendeu a equipe entre 1982 e 1984. Sua camisa 10, em um quadro, foi erguida e reverenciada. Os jogadores dos dois times se posicionaram em volta do círculo central antes do jogo e foi respeitado um minuto de silêncio.

O tributo mais emocionante foi feito por Messi na comemoração de seu gol, o que selou o triunfo no segundo tempo. O craque do Barcelona tirou a 10 do Barça e exibiu a 10 do Newell's Old Boys, clube pelo qual foi revelado e que Maradona defendeu no começo dos anos 1990. O modelo é o mesmo que o ídolo utilizou. Depois, o meia, costumeiramente comparado ao "Dios", mandou um beijo aos céus.

Após amargar o pior início no Campeonato Espanhol em 29 anos, o Barcelona se recuperou com o triunfo e subiu sete posições na tabela de classificação. O time catalão, que vinha de derrota para o Atlético de Madrid, agora ocupa o sétimo lugar, com 14 pontos, ainda distante dos primeiros colocados. O Barça, porém, tem dois jogos atrasados para fazer. O Osasuna caiu para a 15ª colocação, com 11 pontos.

Escalado com uma formação ofensiva por Ronald Koeman, o Barcelona não tomou conhecimento do Osasuna e dominou o adversário durante todo o jogo. Com espaço para construir as jogadas, os gols saíram naturalmente.

Na primeira etapa, Braithwaite abriu o placar aos 29 minutos, pegando rebote da própria finalização defendida pelo goleiro. A bola bateu no joelho do atacante e entrou. Foi o primeiro gol do norueguês no Camp Nou.

Os anfitriões diminuíram um pouco o ritmo até Griezmann aparecer para marcar um golaço, aos 41 minutos. Coutinho recebeu de Messi e rolou na esquerda para Alba, que fez o cruzamento. A zaga afastou nos pé do atacante francês, que, de primeira, não deixou a bola cair e acertou uma pancada de pé esquerdo da entrada da área. Uma pintura no Camp Nou.

No segundo tempo, o Osasuna teve de sair para o ataque e deu ainda mais espaços. O Barça aproveitou e definiu o triunfo com Coutinho e Messi. O meio-campista brasileiro fez o terceiro aos 11 minutos. No lance, ele recebeu de Griezmann e emendou para as redes.

Aos 24, Dembélé também marcou, mas o tento foi anulado pelo VAR por impedimento de Trincão na origem da jogada. O grande momento da partida aconteceu aos 27 minutos, quando Messi foi às redes e fechou o placar com uma bomba no ângulo. Na comemoração, o craque homenageou seu ídolo com a camisa 10 que ele usou no Newell's Old Boys.

Redução salarial

Horas antes da partida, o Barcelona chegou a um acordo com os representantes dos jogadores do time principal e do time B para uma redução salarial no valor de 122 milhões de euros (aproximadamente R$ 780 milhões) com os jogadores em relação aos salários fixos, além de outros 50 milhões de euros (R$ 320 milhões) nas metas variáveis. A redução se dará nesta temporada, com o dinheiro sendo pago ao longo dos próximos quatro anos, no caso dos pagamentos fixos, e três anos, no dos variáveis. O acordo ainda não foi oficializado.

As negociações não foram fáceis, tendo ocorrido sete reuniões entre o clube e os representantes dos atletas. Contudo, nem todos os jogadores estarão no acordo: Piqué, Ter Stegen, Lenglet e De Jong já haviam aceitado uma redução salarial anteriormente, antes de Josep Maria Bartomeu renunciar à presidência do Barcelona, mas com a condição de estenderem seus vínculos com a equipe catalã por mais tempo.

A junta diretiva que assumiu o comando do clube foi quem seguiu com as negociações. "A ideia é diferir os pagamentos e chegar a um acordo que favoreça todas as partes. Não queremos tirar dinheiro de ninguém", explicou Carlos Tusquets, presidente da junta. Segundo o dirigente, o Barcelona precisaria economizar 300 milhões de euros (R$ 1,9 bilhão) para se enquadrar no que previa gastar.

Inicialmente, a ideia era conseguir reduzir o salário dos atletas em 190 milhões de euros (R$ 1,2 bilhão). A intenção da junta era que o valor economizado na temporada 2020/2021 em salários fosse pago em 10 anos. Os jogadores estavam predispostos a ajudar o clube, mas consideravam que o montante e, principalmente, os prazos eram muito grandes. Por fim, conseguiram o acordo.

Na oposição do clube, surgiram críticas ao acordo. Um pré-candidato à presidência ouvido pelo jornal El Pais afirmou que o acordo não faz sentido, já que o próximo presidente terá que seguir negociando o tema.

Outro ponto levantado é que não foi alcançado o valor desejado e que, portanto, o Barcelona terá de seguir buscando outras formas de economizar dinheiro. As eleições estão marcadas para março de 2021.


Mais Lidas


Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895