Com show de Rafael Moura, Goiás vence de virada Santos por 4 a 3 na Vila
patrocinado por

Com show de Rafael Moura, Goiás vence de virada Santos por 4 a 3 na Vila

Envolvida na final da Libertadores, equipe santista não poupou titulares e foi superada por um dos lanternas do Brasileirão

AE

Jogo foi de muitos gols na Vila Belmiro

publicidade

Dois tempos completamente diferentes. Assim foi a partida que levou o Santos a ser superado pelo Goiás por 4 a 3, neste domingo, no estádio da Vila Belmiro, em Santos, em confronto válido pela 32.ª rodada do Campeonato Brasileiro. Com seus titulares, pensando no confronto contra o Palmeiras pela final da Copa Libertadores no próximo sábado, a derrota para um dos lanternas deve gerar preocupações.

O resultado deixa o Santos na 10.ª posição com 45 pontos, enquanto que o Goiás ainda permanece na zona de rebaixamento, na 18.ª colocação, com 29.

O primeiro tempo da partida foi todo da equipe comandada pelo técnico Cuca. Ao contrário de seu rival na final da Libertadores, que perdeu neste domingo para o Ceará, o Santos entrou em campo com seus titulares, com força máxima e disposição para retomar bons resultados no Brasileirão.

O domínio do time alvinegro paulista se iniciou logo aos 5 minutos, quando Soteldo encontrou espaço pela esquerda e enviou a Diego Pituca, que cabeceou com perigo e deu trabalho para Heron salvar. O Santos já chegava e, em poucos minutos, nova bela jogada abriu o placar. Marinho recebeu dentro da área para enviar a Pituca, que deu assistência a Lucas Braga para balançar as redes do Goiás. Se no primeiro minuto de jogo o adversário ainda conseguiu dar algum susto, mais adiante a etapa era só do Santos.

A próxima jogada de perigo, aos 32 minutos, foi fruto do preciso passe de Marinho para Soteldo, que não conseguiu o domínio. A oportunidade, porém, veio com o jovem Kaio Jorge, que recebendo passe de Soteldo, fez seu terceiro gol no Brasileirão, justo no dia de seu aniversário. O resto do tempo foi de criação de chances para o Santos, porém um Goiás apagado, que parecia só se defender.

No segundo tempo, o Santos, esperando o Goiás da primeira etapa, tratava o jogo como resolvido, enquanto seu adversário retornou a campo disposto e transformado. A equipe buscava diminuir a diferença e, com sorte, chegar ao empate. Encontrou quatro gols e venceu o finalista da Libertadores com uma virada improvável.

O primeiro tento, logo aos 9 minutos, mostrou com Rafael Moura que o Goiás era outro. E o empate veio cinco minutos depois, quando David Duarte encontrou o empate cabeceando com força direto para o gol. O Santos buscou se organizar e retomar o bom desempenho da primeira etapa, porém o Goiás vinha decidido a se estabelecer e vencer a equipe alvinegra paulista.

Aos 30 minutos, pênalti cobrado por Fernandão marcou a virada, que foi ratificada com gol de cobertura de Rafael Moura apenas um minuto depois. Aos 41, Marinho diminuiu a vantagem marcando na cobrança de pênalti. Até o último momento, o empate parecia que poderia acontecer, porém era impossível o Santos ultrapassar a equipe do técnico Glauber Ramos.

Veja Também


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895