Começa julgamento pela morte do jogador argentino Emiliano Sala
patrocinado por

Começa julgamento pela morte do jogador argentino Emiliano Sala

Organizador do voo é acusado de atuar de maneira imprudente ou negligente pelas condições na aeronave

AFP

David Henderson, 66 anos, é acusado de atuar de maneira imprudente no caso

publicidade

Um homem suspeito de organizar o voo em que o jogador de futebol argentino Emiliano Sala morreu em 2019, após a queda do avião no Canal da Mancha, será julgado a partir desta segunda-feira em Cardiff, País de Gales.

David Henderson, 66 anos, é acusado de atuar de maneira imprudente ou negligente e colocar em perigo a vida de Sala pelas condições do voo que organizou. Na véspera da primeira audiência, o réu se declarou culpado de uma das duas acusações contra ele: "tentativa de liberar um passageiro sem permissão ou autorização válida".

Veja Também

O pequeno avião privado no qual viajavam o jogador argentino de 28 anos e o piloto David Ibbotson sofreu o acidente no Canal da Mancha em 21 de janeiro de 2019. O atacante do Nantes francês havia anunciado sua transferência para o Cardiff City por 17 milhões de euros (20,4 milhões de dólares). O corpo do jogador, cuja morte comoveu o mundo do futebol, foi encontrado nos destroços do avião mais de duas semanas depois do acidente, a 67 metros de profundidade. O corpo do piloto de 59 anos não foi localizado.

No relatório final, publicado em março de 2020, a A Agência de Investigação de Acidentes Aéreos (AAIB) da Grã-Bretanha determinou que o piloto perdeu o controle da aeronave durante uma manobra executada a uma velocidade muito elevada, "provavelmente" para evitar o mau tempo. O avião, um Piper PA-46 Malibu, teria sofrido danos durante a manobra. Os investigadores acreditam que o piloto "provavelmente" se intoxicou com o monóxido de carbono do sistema de exaustão do motor.

Os investigadores também destacaram que o voo não aconteceu de acordo com as regras aplicadas aos voos comerciais. O piloto navegou à vista, à noite, em condições meteorológicas adversas e não tinha licença para pilotar este tipo de aeronave ou para voar à noite.

O avião estava a uma velocidade de 435 km/h quando sofreu o impacto com a água, segundo a AAIB, que descartou qualquer possibilidade de sobrevivência. O voo foi fretado pelo piloto britânico David Henderson a pedido do intermediário Willie McKay e seu filho Mark, contratados pelo Nantes para concretizar a transferência de Sala.

O clube de Cardiff afirmou que ofereceu um voo comercial ao jogador, que teria rejeitado. Antes de embarcar no pequeno avião, Sala expressou preocupação com o estado da aeronave. "Estou aqui no avião, que parece que está caindo aos pedaços. Estou indo para Cardiff", declarou Sala em um áudio enviado a seus amigos pelo WhatsApp. "Mas vocês sabem, pai, que estou com medo".

David Henderson se declarou inocente de infrações à legislação de transporte aéreo durante uma audiência em outubro de 2020 em um tribunal de Cardiff. Henderson, natural do norte da Inglaterra, foi liberado após o pagamento de fiança para aguardar o processo. O corpo de Sala foi repatriado para a Argentina em fevereiro de 2019. Ele foi sepultado na pequena cidade de Progreso.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895