Conmebol anuncia punições para jogadores expulsos em Gre-Nal da Libertadores

Conmebol anuncia punições para jogadores expulsos em Gre-Nal da Libertadores

Penas mais pesadas ficaram com Paulo Miranda e Moisés, com quatro jogos cada

Correio do Povo

Punições mais pesadas foram para Paulo Miranda e Moisés

publicidade

Quase dois meses após o julgamento, realizado no dia 30 de março, o Tribunal Disciplinar da Conmebol decidiu as punições impostas aos jogadores envolvidos na briga durante o Gre-Nal da Libertadores, em 12 de março. As penas mais altas foram para Moisés, do Inter, e Paulo Miranda, do Grêmio, que pegaram quatro jogos, cada, e estão fora do restante da fase de grupos, caso a competição seja retomada. Luciano, do Grêmio, e Edenilson, do Inter, levaram três jogos cada. 

Esses quatro terão de pagar 3 mil dólares em multa (R$ 16 mil), cada um.  Outros quatro jogadores pegaram apenas um jogo de suspensão e multa de 1,5 mil dólares (R$ 8 mil): Victor Cuesta e Praxedes, do Inter, e Caio Henrique e Pepê, do Grêmio. Os clubes foram condenados a pagar multa de 9 mil dólares (cerca de R$ 48 mil) cada.

Com a Libertadores parada em função da pandemia, o resultado do julgamento nunca foi prioridade para a Commebol. As penas ainda não foram oficializadas pela entidade em seu site oficial.

Clubes divergem sobre punições

De acordo com Nestor Hein, do departamento jurídico do Grêmio, o clube não irá recorrer da punição. "Ficou de bom tamanho, dentro do que imaginávamos. Foi condizente com a forma como tentamos defender os interesses do clube", resumiu.

O Inter considerou as decisões "razoáveis dentro do contexto", citando especialmente a jurisprudência da Conmebol. No entanto, de acordo com o vice presidente jurídico do clube, Gustavo Junchen, a punição ao zagueiro Victor Cuesta foi considerada injusta. "Pela prova de vídeo que apresentamos, ficou claro que ele não praticou nenhuma infração. Entendemos que deveria ter sido absolvido", comentou.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895