Deputados estaduais se reúnem com BM para tratar do caso do torcedor xavante ferido

Deputados estaduais se reúnem com BM para tratar do caso do torcedor xavante ferido

Comissão de Cidadania e Direitos Humanos (CCDH) da Assembleia Legislativa irá se encontrar com comando da Brigada Militar na próxima quarta-feira

Correio do Povo

Rai Duarte foi retirado por policiais militares do ônibus

publicidade

A Comissão de Cidadania e Direitos Humanos (CCDH) da Assembleia Legislativa irá se reunir com o comando da Brigada Militar na próxima quarta-feira, dia 11, às 9h30min, para tratar do caso do torcedor do Brasil de Pelotas, Rai Cardoso Duarte, 33 anos, que encontra-se em estado grave na UTI do Hospital Cristo Redentor, em Porto Alegre. Ele havia sido retirado de dentro de um ônibus pelo efetivo da Força Tática do 11º BPM na noite de domingo passado, após a partida entre São José e o Brasil de Pelotas, no estádio Francisco Novelletto Neto, no bairro Passo D´Areia, na Zona Norte da Capital. 

“Minha expectativa é primeiramente que meu filho melhore para podermos ir embora para a nossa casa e que se recupere sem nenhum trauma e que depois haja justiça para que amanhã não seja outro Rai a ser torturado, espancado, humilhado, e nenhuma mãe sofra o que estou sofrendo…”, declarou a mãe do torcedor, Marta Moraes Cardoso, 52 ano, à reportagem do Correio do Povo. “Vai ser um Dia das Mães horrível para mim”, desabafou. Martaa lembrou que o filho é casado e tem uma esposa grávida de três meses.

A reunião com a cúpula da BM foi uma solicitação feita pela CCDH após a deputada estadual Luciana Genro (PSOL) levar o caso ao órgão, cobrando uma atuação do Legislativo em apoio à família da vítima e no acompanhamento das investigações.

Nessa sexta-feira, ele participou de uma reunião entre a família do torcedor, o Conselho Estadual de Direitos Humanos, a Defensoria Pública do Estado e o Ministério Público do Estado do Rio Grande do Sul. Outros torcedores do Brasil de Pelotas que também denunciam ter sido agredidos pela Brigada Militar estiveram no encontro.

Houve a solicitação para que o Ministério Público, que possui atribuição constitucional de realizar o controle externo da atividade policial, acompanhe a apuração do Inquérito Policial Militar (IPM) realizado pela Brigada sobre o caso. “Temos a preocupação de solicitar esse acompanhamento para garantir que o IPM possa ser imparcial e apurar tudo o que aconteceu naquele episódio”, disse Luciana Genro.

Além disso, a deputada estadual irá levar ao Comando-Geral da Brigada Militar a proposta de que todos os policiais militares que estejam atuando em grandes eventos, como jogos de futebol ou shows, tenham câmeras acopladas em suas fardas. “São frequentes as denúncias de repressão violenta em jogos de futebol. Com as câmeras, tanto o bom policial quanto a população estarão protegidos e será possível saber exatamente o que houve, no caso de denúncias de violência”, explicou. Ela é autora de um projeto de lei que prevê a instalação de câmeras em uniformes e viaturas da Brigada Militar e da Polícia Civil no Rio Grande do Sul.

A proposta foi rejeitada pela maioria dos parlamentares no ano passado, em votação no plenário, mesmo após ter sido aprovada em duas comissões com o apoio de diferentes partidos. O projeto foi reapresentado neste ano por Luciana Genro.


Mais Lidas


Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895