Edilson cobra R$ 9,2 milhões do Cruzeiro em ação na Justiça do Trabalho
patrocinado por

Edilson cobra R$ 9,2 milhões do Cruzeiro em ação na Justiça do Trabalho

Lateral pede valores não quitados na rescisão contratual, que ocorreu em junho do ano passado

AE

Lateral atuou em 73 jogos pela Raposa

publicidade

O lateral-direito Edilson acionou o Cruzeiro na Justiça do Trabalho para cobrar R$ 9.275.602,39. A ação se refere ao pagamento de valores não quitados na rescisão contratual, que ocorreu em junho do ano passado, de acordo com a defesa do jogador.

A ação, impetrada neste mês na Vara do Trabalho de Belo Horizonte, foi distribuída e iniciada na última sexta-feira. A primeira audiência na Justiça do Trabalho está marcada para 14 de julho.

Atleta do clube entre 2018 e 2020, Edilson cobra R$ 5.377.160,81 que se referem às parcelas que não foram cumpridas do acordo, outros R$ 2.688.580,40 referentes à multa de 50% (prevista no acordo), além de R$ 1.209.861,18 de honorários de sucumbência.

Fora do valor da causa, o jogador ainda pleiteia R$ 3.188.580,40, pela aplicação das multas dos artigos 467 e 477. A defesa do atleta também quer que o clube seja condenado no recolhimento de IR e de INSS. Ao todo, o Cruzeiro pode ter que pagar mais de R$ 13, 2 milhões. Questionado pelo Estadão, o clube ainda não se manifestou.

Edilson foi contratado em 2018 por indicação do técnico Mano Menezes. Teve uma primeira temporada razoável, mas enfrentou lesões na panturrilha no ano seguinte e perdeu a posição de titular para Orejuela. Em 2020, era o titular até a parada do futebol por conta da pandemia do novo coronavírus. Ao todo, ele atuou em 75 jogos e marcou três gols. Hoje, ele joga pelo Avaí.

Na semana passado, o clube mineiro já havia sofrido um revés. O Cruzeiro foi condenado pelo Tribunal Arbitral do Esporte a quitar uma dívida no valor de 1,1 milhão de euros (perto de R$ 7 milhões) ao Defensor Sporting, do Uruguai, pela aquisição do meia Arrascaeta. Além disso, o time celeste tem ainda de bancar uma despesa de 20 mil francos suíços (cerca de (R$ 113 mil) por custas de despesas processuais.

Veja Também

 


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895