Estados Unidos pede a seus cidadãos que não viajem ao Japão a dois meses dos Jogos

Estados Unidos pede a seus cidadãos que não viajem ao Japão a dois meses dos Jogos

A decisão de Washington foi tomada principalmente por razões sanitárias, mas também por "fatores secundários"

AFP

Estados Unidos alertou seus cidadãos a não viajar para o Japão devido as restrições da pandemia da Covid-19

publicidade

Os Estados Unidos fizeram um apelo a seus cidadãos para que não viajem ao Japão devido à pandemia, a menos de dois meses antes dos Jogos de Tóquio, mas o governo do país e o comitê organizador garantiram nesta terça-feira que a recomendação não afetará a reta final de preparativos para o evento.

"Devido à Covid-19, não viaje para o Japão", disse o Departamento de Estado alertando sobre viagens para aquele país, criticado por sua baixa taxa de vacinação.

Nível 4: 'Não ir'

"Tóquio 2020 continuará a trabalhar em estreita colaboração com todas as organizações envolvidas para garantir a participação segura de todos os atletas nos Jogos", respondeu o comitê organizador em um comunicado. "Pelo que sabemos, não há mudança na posição dos Estados Unidos em apoio aos esforços do Japão" para organizar os Jogos, acrescentou o porta-voz do governo Katsunobu Kato.

A decisão de Washington foi tomada principalmente por razões sanitárias, mas também por "fatores secundários como a disponibilidade de voos comerciais, restrições às entradas de cidadãos norte-americanos e impedimentos para obter os resultados dos testes de Covid-19 em três dias", diz o comunicado.

Há várias semanas, o Departamento de Estado vem atualizando suas advertências aos viajantes para adequá-las às dos centros de prevenção e combate a doenças, como forma de melhorar o combate aos riscos da Covid-19. Resultado: um número maior de países agora está classificado no nível 4, de "não ir".

No caso do Japão, que vive uma onda de casos de Covid-19, o alerta é de particular importância devido à proximidade dos Jogos. "As categorias de viajantes norte-americanos que poderão ir ao Japão para os Jogos serão muito limitadas", disse um porta-voz diplomático dos Estados Unidos.

O governo japonês enfatizou que a saúde pública continuará sendo a principal prioridade na organização dos Jogos. "Tóquio nos garantiu que permanecerá em contato próximo com Washington à medida que seus planos evoluem", disse ele.

O Japão abriu seus primeiros centros de vacinação em massa de forma acelerada em uma campanha prévia aos Jogos Olímpicos, que foram cancelados no ano passado devido à pandemia. No entanto, apenas 2% dos 125 milhões de habitantes foram totalmente vacinados.

A página da embaixada dos Estados Unidos no Japão afirma que as possibilidades de entrada de um norte-americano no país são "muito limitadas". "Viajar por motivos turísticos ou por outros motivos de curto prazo não é autorizado e não há indicação de que isso vá mudar em breve. Viagens sem visto estão suspensas", informou a embaixada.

Sem distinção com os vacinados

"O governo do Japão não faz nenhuma distinção entre viajantes vacinados e não vacinados em suas exigências para entrada relacionadas à Covid-19 e a quarentena se aplica independentemente do status de vacinação", acrescentou. Os comitês olímpico e paralímpico dos Estados Unidos afirmaram em um comunicado sua "confiança" de que os atletas podem participar "com segurança" dos Jogos graças às medidas da organização.

O Japão começou a aplicar a vacina da Pfizer a profissionais de saúde com mais de 65 anos em fevereiro e espera concluir essa fase quando os Jogos começarem (23 de julho a 8 de agosto). O país asiático sofreu um impacto relativamente baixo da pandemia, com cerca de 12.000 mortes, mas um recente surto de infecções pressionou o sistema hospitalar.

Tóquio, Osaka e outras oito regiões estão em estado de emergência e redução da atividade comercial até o final de maio. Reportagens na imprensa indicam que as medidas podem ser estendidas por mais três semanas. A maioria dos atletas e outros que ficarão na Vila Olímpica serão vacinados antes de chegar ao Japão, embora a vacinação não seja um requisito para participar dos Jogos.

Veja Também


Mais Lidas


Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895