"Estamos diante de problemas de verdade", diz membro do COI sobre Jogos de Tóquio
capa

"Estamos diante de problemas de verdade", diz membro do COI sobre Jogos de Tóquio

A falta de uma vacina contra a Covid-19 ou de conseguir compartilhar ela com todos os 206 países é apontada com um dos pontos mais preocupantes

Por
AFP

Organizadores estão preocupados com a saúde dos mais de 100 mil pessoas envolvidas com os jogos

publicidade

O australiano John Coates, influente membro do Comitê Olímpico Internacional (COI), reconheceu que existem "problemas de verdade" para a organização dos Jogos Olímpicos de Tóquio em 2021, adiados em um ano devido à pandemia do coronavírus. "Estamos diante de problemas de verdade, porque há atletas que vêm de 206 países" diferentes, lembrou o chefe do Comitê Olímpico Australiano durante coletiva de imprensa organizada pelo grupo News Corp.

"Serão 11 mil atletas, 5 mil dirigentes e técnicos, 20 mil pessoas da imprensa e 4 mil pessoas que trabalham na organização dos Jogos neste momento, aos quais se somarão 60 mil voluntários", lembrou Coates.

"Os Jogos só podem ser disputados em 2021, não podemos adiá-los novamente e temos que partir do princípio de que não haverá uma vacina (contra o coronavírus), ou se houver em um ano não haverá tempo suficiente para compartilhar ela com mundo todo", analisou o ex-vice-presidente do COI.

"Será que teremos que colocar a Vila Olímpica em isolamento? Todo atleta que participar terá que respeitar um período de quarentena? Haverá um limite de espectadores em cada instalação de competição", questionou.

Coates, que preside o Comitê de Organização do COI para os Jogos Olímpicos de 2020, se pronunciou um dia após o presidente do COI, Thomas Bach, alertar que os Jogos de Tóquio serão cancelados se não forem disputados em 2021.

"Não se pode empregar eternamente de 3.000 a 5.000 pessoas no Comitê de Organização", explicou Bach à emissora britânica "BBC", destacando os grandes desafios que representa o reagendamento em sequência de grandes competições provocado pelo adiamento olímpico.

"Não se pode modificar o calendário esportivo mundial de todas as principais federações. Não se pode deixar os atletas na incerteza", afirmou Bach.

Em 24 de março, o COI anunciou o histórico adiamento dos Jogos de Tóquio, inicialmente previstos para serem disputados entre 24 de julho e 9 de agosto de 2020. As novas datas do evento são de 23 de julho a 8 de agosto de 2021.