Fila quilométrica de fãs pode estender velório de Diego Maradona em Buenos Aires
patrocinado por

Fila quilométrica de fãs pode estender velório de Diego Maradona em Buenos Aires

Apaixonados pelo eterno camisa 10 da seleção argentina formam três quilômetros de aglomeração para passar 15 segundos em frente ao caixão

R7

Previsão é que velório se encerre na tarde desta quinta-feira

publicidade

Gente até onde os olhos já não alcançam mais. Assim pode ser definida a fila dos apaixonados que se reúnem no entorno da Casa Rosada, em Buenos Aires, para se despedir de Diego Armando Maradona. Um milhão de pessoas são esperadas para o velório do ídolo na sede do governo argentino, que já cogita estender o horário da cerimônia.

O velório está previsto para até as 16 horas (horário de Brasília e local). No entanto, segundo as contas das autoridades, são 3 quilômetros de fila e 15 segundos de cada um diante do caixão coberto com uma bandeira da Argentina. As pessoas não podem, por exemplo, parar para uma despedida mais demorada. Alguns jogam rapidamente flores e um ou outro objeto de lembrança.

Veja Também

Por isso, com medo de uma revolta da população, é possível que o velório seja alongado. Na abertura dos portões da Casa Rosada, perto das 6 horas, uma multidão se apressou para entrar e chegou até a se confrontar com a polícia. A situação foi rapidamente normalizada sem mais excessos de parte a parte. Ao longo da tarde, a fila na Plaza de Mayo chegou à avenida 9 de Julho.

Perto das 14h, houve um novo princípio de confusão mas, desta vez, entre fãs que disputavam posição na fila. A polícia precisou intervir e utilizou gás de pimenta para conter a confusão.

Maradona será enterrado no cemitério Jardim da Paz, no bairro de Bella Vista, na periferia de Buenos Aires. Por lá, os pais do craque, Dalma e Don Diego, estão enterrados. A família pensou inicialmente em um sepultamento no fim de semana justamente para que mais pessoas pudessem acompanhar o velório.

Além de uma reação com a segurança, as autoridades sanitárias também estão em alerta em razão da pandemia do novo coronavírus. Apesar do uso obrigatório de máscaras e aferição da temperatura na entrada da Casa Rosada, não há como manter o distanciamento social. A Argentina até agora registrou 1.390.375 de casos e 37.714 mortes pela Covid-19.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895