Fluminense empata com o Atlético-MG no Rio e segue na mira do Grêmio
patrocinado por

Fluminense empata com o Atlético-MG no Rio e segue na mira do Grêmio

Tricolor carioca chegou a sair na frente, mas cedeu o empate no final e estaciona na 16ª colocação

AE

Resultado não foi bom para nenhuma das equipes

publicidade

Em duelo bastante disputado, Fluminense e Atlético-MG empataram, por 1 a 1, nesta segunda-feira, em São Januário, em partida válida pela 17ª rodada do Campeonato Brasileiro. Com o resultado, os mineiros, líderes da competição, somam 38 pontos, enquanto os cariocas acumulam 18, na 16ª colocação. O resultado manteve a equipe do RJ na mira do Grêmio em sua tentativa de deixar o Z4.

O empate tirou a oportunidade do Atlético quebrar o recorde de vitórias consecutivas na era dos pontos corridos do Brasileirão. Ficou com nove, ao lado do Inter.

Os times voltam a se enfrentar na quinta-feira, às 21h30min, no Engenhão, pelo duelo de ida das quartas de final da Copa do Brasil. A partida de volta está prevista para 16 de setembro, no Mineirão.

O primeiro tempo foi bastante disputado. O Fluminense armou uma marcação especial sobre os dois laterais atleticanos, Guga e Arana, obrigando os mineiros a concentrarem as jogadas pelo meio. A qualidade técnica de Nacho e Zaracho fez a diferença nos primeiros minutos e Vargas acertou finalização na trave de Marcos Felipe, aos 12.

Aos poucos o Fluminense, usando duas linhas de marcação, com quatro e cinco homens, teve sucesso no bloqueio das atividades ofensivas do Atlético. Em dois momentos de falta de atenção, o time carioca aproveitou para ter vantagem no placar. Primeiro, aos 21 minutos, com uma bomba de Martinelli, que Everson fez bela defesa.

Na sequência, o juiz Flavio Rodrigues de Souza apontou pênalti de Hulk em Luccas Claro. Fred cobrou com categoria para abrir o placar. Foi o gol número 154 do atacante em campeonatos brasileiros, igualando-se a Romário e somente atrás de Roberto Dinamite (190 gols).

O Atlético sentiu o gol e, apesar de ficar mais tempo com a bola, pouco produziu de perigo para a meta do Fluminense, que apresentou muita consistência defensiva sob a orientação de Marcão, substituto de Roger Machado, demitido após a eliminação da equipe das Laranjeiras na Copa Libertadores.

No segundo tempo, o Atlético passou a pressionar a saída de bola do Fluminense, ficou a maior parte do tempo no campo de ataque, mas não encontrou espaços para furar o bom bloqueio do adversário. Aos 12, Hulk quase empatou em cobrança de falta. Aos 19, o atacante acertou a trave de Marcos Felipe, que também precisou agarrar finalização de longe de Júnior Alonso.

O Fluminense deixou apenas o uruguaio Abel Hernández, que substituiu Fred (machucado no intervalo), isolado no ataque e apostou na velocidade de Luiz Henrique e depois com Gabriel Teixeira. Muito pouco para segurar a bola.

Com isso, o Atlético aumentou sua produção e Marcos Felipe fez pelo menos três boas defesas. Vargas perdeu a maior oportunidade, aos 26 minutos.

A disputa ficou aberta nos últimos minutos. E as melhores opções do banco ajudaram o Atlético a empatar. Nathan tocou para Eduardo Sasha, que acertou um belo chute, aos 38 minutos: 1 a 1. Empate justo.

Veja Também


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895