Governo do Estado pede prazo maior para avaliar retorno do Gauchão
capa

Governo do Estado pede prazo maior para avaliar retorno do Gauchão

Dupla Gre-Nal é a favor da volta do Gauchão antes do Brasileiro, mas autoridades ainda vão analisar os protocolos

Por
Correio do Povo

Governo do Estado pede prazo maior para avaliar retorno do Gauchão


publicidade

Há a perspectiva de o Campeonato Gaúcho ser retomado entre o final de julho e o início de agosto. Porém, para que isso aconteça, a pandemia do coronavírus precisa se retrair ou, no mínimo, se estabilizar no Rio Grande do Sul. Essa é a perspectiva dos autoridades do governo do Estado, que pediram um prazo maior para analisar os protocolos criados pela Federação Gaúcha de Futebol (FGF) para a retomada do futebol gaúcho.

Em Porto Alegre, Grêmio, Inter e São José realizam treinos físicos há sete semanas. No Interior, porém, a maioria dos clubes não conseguiu voltar a treinar e estão com seus grupos de jogadores desmontados. A insistência pela volta do futebol vem, principalmente, dos dirigentes da dupla Gre-Nal, assustados com os problemas financeiros que a falta do futebol tem causado desde março.

A ideia da FGF era, além de criar uma espécie de bolha ao redor dos pessoas envolvidas em cada jogo, fazê-los em cidades cuja pandemia estivesse mais fraca. Porém, nas últimas semanas, aumentaram o número de locais onde está vigente a bandeira vermelha no sistema de Distanciamento Controlado do Governo do Estado. Neste momento, todos os 12 times do Campeonato Gaúcho têm seus estádios em cidades com bandeira vermelha. 

Em nota, o governo gaúcho pede um prazo maior para analisar o protocolo da FGF, que previa a retomada do Gaúcho com partidas sendo disputadas em seis cidades a partir de 19 de julho. Para que isso fosse possível, o governo do Estado precisaria relativizar as regras do Distanciamento Controlado e permitir jogos em locais de bandeira vermelha – pelas regras atuais, eles só podem ocorrer onde impera a bandeira amarela.


“Neste período (julho e agosto), além da possibilidade das bandeiras vermelhas, o Estado estará em uma época que, historicamente, ocorre o pico da demanda de internações por Síndromes Respiratórias Agudas Graves (SRAG) no RS. Portanto, trata-se de um momento especialmente importante em termos de medidas para conter a disseminação do coronavírus”, enfatiza a nota divulgada pela Secretaria de Governança e Gestão Estratégica do Estado (SGGE).