capa

Coletiva de Renato tem minuto de silêncio, recusa de feriado e revelação de aposta com André

Técnico elogiou trabalho de Odair, mas viu Tricolor como justo vencedor do Gauchão

Por
Correio do Povo

Treinador vibrou muito com a conquista do bicampeonato

publicidade

O técnico do Grêmio, Renato Portaluppi, colocou mais uma faixa no peito no final da noite dessa quarta-feira. E antes da sua primeira fala, a coletiva do treinador foi interrompida pelo grupo de jogadores, que invadiu a conferência para soltar o grito de "é campeão" e provocar o rival Inter com o já famoso minuto de silêncio. As brincadeiras, no entanto, não terminaram aí, e a manifestação de Renato ainda teve a recusa de um feriado e a revelação de uma aposta feita com o centroavante André. 

"São 30 meses, com seis títulos. A cada cinco meses, um. É maravilhoso, depois de uma fila de 15 anos. Daqui a pouco o Grêmio tá no Guinness, pois são muitos títulos", destacou o comandante gremista. Renato ainda brincou sobre a possibilidade de decretar feriado nesta quinta-feira em Porto Alegre, como ele mesmo fez em 2017, quando da conquista da Libertadores da América. “Nâo vai ter feriado, se não o Estado para. O Grêmio é campeão toda hora, se der feriado ninguém trabalha. Vamos trabalhar, se não vão ficar muito mal acostumados”, acrescentou. 

Na conquista específica do Gauchão, Renato contou os bastidores da trajetória de André e Paulo Victor, os personagens do jogo. "O André é o nosso melhor batedor de pênalti. Na saída da concentração eu falei que se tivesse um durante a partida eu decidiria na hora. Mas na saída eu cheguei com ele e disse 'você que vai bater'", relatou. "Daí teve aquele tumulto todo e ele não fez. Vieram as penalidades. Eu chamei e disse: "você vai bater o pênalti decisivo e vai fazer o gol."

Paulo Victor também recebeu o incentivo do técnico. "Chamei e falei: 'Você vai entrar na história do clube como o Marcelo (Grohe)'. Foi lá e defendeu três pênaltis", exaltou Renato, antes de revelar um bixo-extra para o herói da conquista. "Eu dei de presente, durante um abraço, R$ 50 mil", brincou. "Eu não tenho esse dinheiro, mas vou buscar em algum lugar. Eu prometi para ele. Título não tem preço, eu falo sempre", completou.  

Antes de comentar o jogo, Renato fez questão de elogiar os rivais. "O Odair é um colega de profissão. Tem que dar os parabéns pelo trabalho que vem fazendo", afirmou. "Mas a minha equipe buscou nos dois jogos a vitória. O primeiro Gre-Nal foi bastante parelho, mas hoje não. O Grêmio teve as melhores oportunidades e tentou vencer o tempo todo. Com todo respeito ao Inter, mas o merecedor seria o Grêmio", apontou, citando ainda a campanha invicta, com melhor ataque e melhor defesa.