Críticas pelo uso do time reserva no Brasileirão não muda convicção do Grêmio

Críticas pelo uso do time reserva no Brasileirão não muda convicção do Grêmio

Tricolor terá um jogo a cada três dias, com duas partidas decisivas, até o final de agosto

Rafael Peruzzo

Parte da torcida do Grêmio quer o Grêmio com força máxima em todos os jogos do Brasileirão, mas direção e comissão técnica pensam diferente

publicidade

A decisão de Renato Portaluppi em escalar uma equipe quase toda de reservas na quarta-feira, no empate em 1 a 1 com o Ceará, em Fortaleza, desagradou grande parte dos torcedores do Grêmio. O fato de não conquistar o Campeonato Brasileiro desde 1996 incomoda a torcida.

Mas o clube e o treinador não abrem mão de suas convicções e o grupo deste ano foi montado pensando justamente na maior “rodagem” do elenco.

A justificativa é o acúmulo de jogos e o desgaste causado pela maratona. Mas há um alento para os gremistas. Se vencer o Corinthians, amanhã, na Arena, o Tricolor iguala a melhor arrancada de Brasileirão dos últimos cinco anos.

Desde 2015, a única vez em que o Grêmio somou sete pontos em três rodadas foi em 2016, quando estreou empatando com o Corinthians e depois derrotou Flamengo e Atlético-MG na sequência. Outros argumentos utilizados para explicar a preferência por competições como Copa do Brasil e Libertadores da América em determinado momento da temporada são o caminho mais curto para conquistar um título e a questão financeira. As Copas rendem maiores premiações.

“Eu quero ser campeão brasileiro, eu trabalho num clube que quer ser campeão e a gente vai trabalhar sempre para buscar esse título. Mas eu não vou colocar em campo jogadores que não têm condições pela sequência e cansaço”, justifica Renato Portaluppi.

“Não é que eu não quisesse trazer os jogadores (titulares), não adianta eu trazer a equipe principal (para o Ceará) que vinha jogando e daqui a pouco perder três, quatro jogadores. Só que eu vou perder esses jogadores por três, quatro semanas”, acrescenta.

A preservação no meio de semana também leva a crer que o Grêmio pretende ganhar fôlego para as próximas rodadas do Campeonato Brasileiro, diante de adversários teoricamente mais qualificados. Depois de enfrentar o Corinthians na Arena, o Tricolor vai ao Rio de Janeiro para jogos contra Flamengo, dia 19, e Vasco, dia 23. E no dia 26, inicia a disputa contra o Caxias pelo título do Gauchão, que tem a última partida marcada para o dia 30.

“Assim como o nosso torcedor, eu gostaria de escalar sempre a mesma equipe, mas isso é impossível, tem que ter bom senso. Ninguém aguenta um jogo atrás do outro, daqui a pouco as outras equipes vão fazer a mesma coisa”, comenta o treinador do Grêmio.

Na quarta-feira, apenas quatro titulares iniciaram a partida contra o Ceará (Orejuela, Cortez, Alisson e Pepê).

• Confira a tabela do Grêmio até o final de agosto

15/08 - Brasileirão - 19h - Arena - Grêmio x Corinthians
19/08 - Brasileirão - 19h15min - Maracanã - Flamengo x Grêmio
23/08 - Brasileirão - 16h - São Januário - Vasco da Gama x Grêmio
26/08 - Gauchão - 21h30min - Centenário - Caxias x Grêmio
30/08 - Gauchão - 16h - Arena - Grêmio x Caxias


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895