“Deixa eu aqui, tô feliz”, diz Everton sobre chance de sair do Grêmio
capa

“Deixa eu aqui, tô feliz”, diz Everton sobre chance de sair do Grêmio

Jogador mantém sonho de jogar na Europa, mas se diz tranquilo se este não for o momento

Por
Correio do Povo

Cebolinha é o terceiro maior artilheiro do Grêmio na história da competição

publicidade

Uma das estrelas do atual elenco do Grêmio, o atacante Everton brilhou na noite dessa terça-feira e ajudou o clube a se classificar para sua 10ª semifinal de Libertadores e se tornar, ao lado do São Paulo, a equipe brasileira que mais marcou presença nesta fase competição. As atuações pelo Tricolor e o bom desempenho durante a Copa América com a camisa da Seleção Brasileira fizeram o mercado internacional o futebol se curvar ao jogador. Em entrevista à Rádio Guaíba, o atleta de 23 anos comentou a possibilidade de permanecer em Porto Alegre até o final do ano e as notícias sobre propostas que tem recebido: “Deixa eu aqui, cara, tô feliz aqui”, respondeu, de forma espontânea.

Aos 23 anos, já admitiu que tem o desejo de jogar na Europa, mas se diz tranquilo se este não for o momento. “Tenho desejo também de conquistar mais títulos com a camisa do Grêmio e espero que consiga neste ano. Recebi algumas sondagens, mas nada oficial", afirmou, ressaltando que nenhuma delas agrada o clube. “Nada que atendesse ao Grêmio. Nessas horas a gente tem que pensar no clube que apostou em mim lá no começo”, comentou.

Oficialmente, a direção gremista recusou uma proposta do futebol chinês; o empresário Fábio Britto, representando o Beijing Guoan, havia iniciado negociações com dirigentes, que foram finalizadas com uma oferta oficial de 45 milhões de euros (cerca de R$ 195 milhões). O pagamento seria feito à vista e o jogador receberia um salário anual de 8 milhões de euros (cerca de R$ 34,6 milhões) por ano em um contrato de quatro anos. No entanto, a contraproposta do Grêmio foi de 60 milhões de euros (R$ 259,6 milhões), o que não foi aceito pelos asiáticos.

Com o gol na noite de ontem, o atacante está entre os três maiores goleadores do clube na história da Libertadores: nos profissionais desde 2014, marcou pela 10ª vez em 33 jogos pelo clube na competição continental, empatando no ranking com Rodrigo Mendes. Agora, o “Cebolinha” pode ultrapassar seu companheiro Luan (12 gols) e mira o recorde que pertence a Jardel. O campeão da Copa em 1995 balançou as redes 16 vezes em 20 atuações.