Everton revela “sonho” de jogar no Campeonato Inglês
capa

Everton revela “sonho” de jogar no Campeonato Inglês

Atacante do Grêmio e da Seleção Brasileira na Copa América não sabe sobre interesse de clubes europeus

Por
Correio do Povo e AFP

Everton não sabe de interesse de clubes europeus no seu futebol, pois está focado na Seleção

publicidade

O atacante Everton concedeu entrevista nesta quinta-feira, na Granja Comary, em Teresópolis, onde a Seleção Brasileira se prepara para enfrentar o Peru na final da Copa América e revelou que, “se pudesse escolher” um mercado para atuar, seria o futebol inglês. O Manchester City e o United são clubes que teriam o interesse em contratar o jogador do Grêmio. Entretanto, as partes envolvidas não confirmam qualquer negociação.

“É um sonho de todo jogador que atua em alto nível é atuar na Europa. Creio que para mim, o futebol mais disputado, no momento, é o inglês. Um campeonato que me chama bastante atenção. Se pudesse escolher, o inglês. Seria um sonho que jogaria em uma competição de nível técnico muito alto. Acrescentaria muita coisa na minha carreira”, revelou Everton ao canal ESPN.

Desde março, o Grêmio admite negociar o jogador caso o interessado faça uma oferta a partir de 40 milhões de euros. A multa em contrato para um clube tirar o atacante é de 80 milhões de euros. Everton afirma não saber se existe algum negócio em andamento.

“Não chegou nada para mim. Pedi para os meus representantes que não me comunicassem nada até o final da competição, pois quero estar totalmente focado na Seleção para fazer um grande trabalho”, ressaltou.

Everton Cebolinha mudou de vida graças à Seleção

Everton afirma ter mudado a vida graças às atuações na Copa América e sonha em conquistar o título continental em casa. "Minha vida profissional, pessoal também, tem mudado, com reconhecimento, não só nacionalmente, mas do mundo todo. Procuro sempre desfrutar desse momento, um momento muito especial na carreira", declarou o jogador de 23 anos.

O atacante admite que se diverte com o fato de seu apelido, "Cebolinha", ter sido traduzido em diversas línguas após o protagonismo que ganhou na Copa América. "Acho legal, é algo inusitado. Até minha esposa me chama de Cebolinha, menos quando ela está brava. Aí é Everton", brincou.

O atacante do Grêmio, um dos únicos três jogadores convocados por Tite para a Copa América a atuarem no Brasil, balançou as redes duas vezes no torneio. Substituto nas duas primeiras partidas da Seleção, Everton ganhou a titularidade justamente contra o Peru, na goleada por 5 a 0 do Brasil na última partida da fase de grupos.

Para Cebolinha, a vitória sobre o Chile (3x0) nas semifinais pode influenciar positivamente os peruanos para enfrentar o Brasil na decisão. "Principalmente na maneira de jogar. Assistindo ao jogo de ontem, avaliando, é um time que tocou bastante a bola e foi bem efetivo no ataque. Na chance que tiveram, fizeram os gols", analisou.

Em uma Copa América muito defensiva, na qual 12 jogadores estão empatados na artilharia com apenas dois gols, assim como ele, Everton promete continuar fiel ao seu estilo driblador em campo.

"O futebol mundial se apegou muito ao estilo europeu, que foge da caraterística do jogador brasileiro, que é o drible, o um contra um. Mas tenho tentado trazer isso, que é algo que faço desde pequeno. Está no DNA do futebol brasileiro", concluiu.