Felipão vê Grêmio competitivo, mas projeta recuperação lenta e gradual da confiança

Felipão vê Grêmio competitivo, mas projeta recuperação lenta e gradual da confiança

Treinador disse que não há como fazer algo diferente de um dia para o outro

Correio do Povo

Felipão voltou a comandar o Grêmio neste sábado

publicidade

Luiz Felipe Scolari chegou com a missão de reeguer o Grêmio no Brasileirão. E em seu primeiro desafio no comando do Tricolor, o ídolo gremista teve logo o rival Inter. No Gre-Nal disputado na Arena, tudo igual no placar, 0 a 0, mas o técnico considerou que o time já teve uma mudança de comportamento. "O importante de tudo isso é que hoje tivemos alma. Tivemos dedicação. Duas defesas espetaculares do nosso goleiro que eu já conhecia em 2014, quando aqui estive", avaliou Felipão, advertindo, no entanto, que não uma trabalho rápido o de recuperação do clube. "Não podemos de um dia para o outro fazer uma coisa muito diferente", completou.

Para o comandante gremista, que chegou a Porto Alegre há três dias, é preciso recuperar a confiança do grupo. "Primeiro temos que dar aquele primeiro passo, para a recuperação dos atletas e a confiança retornar. Precisamos trabalhar. Só conversei com eles, não tivemos tempo ainda. Vou trabalhar muito a parte tática. Fiquei muito feliz hoje, os mais velhos deram a experiência que os meninos precisavam. Com as superações acontecendo devagar", disse.

De acordo com Felipão, os resultados de seu trabalho de ver visto apenas em alguns meses. "Nós só vamos conseguir alguma coisa de estar no bolo no fim do primeiro turno. Vamos conseguindo um ponto aqui, outro ali. Temos que mostrar estatisticamente o que está acontecendo, o que vamos fazer e dando a eles um pouco mais de confiança. A dificuldade é enorme, mas com confiança iremos superar", avaliou. E, conforme o técnico, ele vai usar a sua experiência para passar ao elenco que acredita no potencial de cada um. 

"O que eu posso estar pensando é que tenho três dias de Grêmio, não posso sonhar diferente do que é a realidade atual. Eu tenho que ter um pouco mais de tempo, um trabalho de campo e muita conversa com os jogadores e resultados. Isso teremos com o tempo necessário, com o tempo necessário, com as colocações que vamos fazendo, com trabalho de correção já amanha de manha. E às vezes eu tenho que fazer isso só no papo. Vamos superar a dificuldade juntos", avaliou.

Opção pelos 11 iniciais

A escalação escolhida, com Cortez na lateral, se deu pela situação de mais dificuldade que o Inter na tabela. "É um jogador experiente, alto, marcador. O Inter está mais solto, mais tranquilo, nós temos muitas situações  para corrigir. Nunca trabalhamos com a formação de três zagueiros. Não tivemos oportunidade de trabalhar também. Fizemos algumas opções e vamos somando. O Alisson é um jogador extremamente tático, pode no momento atual compor uma situação. E foi que ele fez, dando tranquilidade ao lateral".

Além disso, Felipão apontou dificuldades por conta de lesões. "Fernando Henrique, com o Thiago Santos fora, precisamos de um 5. Conversei com o Thiago Gomes que me disse, pode colocar. E o Fernando foi muito bem. Não foi o que pretendíamos, o que sonhávamos, mas está bom, vamos dar o primeiro passo. As coisas vão melhorar. Não é tão díficil, quanto o que estamos passando. Acho que podemos e acho que vamos conseguir", concluiu.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895