Grêmio detona arbitragem do empate com o São Paulo: “Foi um assalto”

Grêmio detona arbitragem do empate com o São Paulo: “Foi um assalto”

Paulo Luz afirma que árbitro entrou condicionado no Morumbi

Grêmio criticou a arbitragem após o empate com o São Paulo

publicidade

Coube ao vice-presidente de futebol do Grêmio fazer a primeira e mais forte reclamação institucional do clube contra a arbitragem de Rafael Traci, após o empate sem gols com o São Paulo no Morumbi. “O que houve hoje foi um assalto”, disparou o dirigente, ao citar dois pênaltis não marcados. 

Luz citou que Traci foi o árbitro no VAR no jogo entre Atlético-MG e São Paulo, quando o árbitro de vídeo anulou um gol legítimo do clube paulista – um erro reconhecido pela própria CBF. Para ele, o fato de dirigentes do São Paulo tentarem alterar os árbitros escalados para o jogo deste sábado interferiu na arbitragem. “Ele já estava condicionado. Ele veio para cá, porque o São Paulo hoje não poderia perder para o Grêmio.”

“O que houve aqui foi uma arbitargem tendenciosa, calamitosa, vergonhosa e acabou por tirar dois pontos do Grêmio”, afirmou. “Iremos tomar uma postura muito dura. O que houve hoje foi uma vergonha nacional, que coloca o campeonato sob suspeição”, detonou ele. Como exemplo, citou o lance em Pedro Geromel, em que o juiz não deu pênalti, não foi ao VAR e aplicou cartão amarelo no defensor. “Tomaremos as providências.”

O presidente do Grêmio, Romildo Bolzan Júnior, que não estava no Morumbi, enfatizou as críticas, via Twitter do clube: “O resultado do jogo não refletiu a partida. A troca do quadro de arbitragem comprometeu o crédito da arbitragem brasileira de seus comandantes. O Grêmio foi flagrantemente prejudicado, embora os critérios: pênaltis, cartões e critérios de avaliações, sem falar no VAR, novamente omisso. Deslegitimou, desacreditou a arbitragem e o crédito do futebol brasileiro pelo antecedente da influência do São Paulo na troca do quadro arbitral. Chega. Sem mais mais espaços para imoralidades”. 


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895