Quatro treinadores marcam ano sem rumo do Grêmio até o rebaixamento
patrocinado por

Quatro treinadores marcam ano sem rumo do Grêmio até o rebaixamento

Tricolor viveu mudanças constantes no comando de futebol e não encontrou um padrão de jogo

Vítor Figueiró

Treinador não conseguiu comandar reação do time no Brasileirão

publicidade

Inúmeras são as razões que levaram o Grêmio ao seu terceiro rebaixamento no futebol brasileiro. A lamentável campanha no Brasileirão 2021, com impressionantes 19 derrotas, assustou e entristeceu o coração do torcedor do começo ao fim. O Tricolor viveu algo inédito após mais de cinco anos com Renato Portaluppi no comando: quatro treinadores na mesma temporada e uma constante instabilidade na casamata. 

- Contas em dia, futebol em atraso: os caminhos do Grêmio ao terceiro rebaixamento

Foto: Mauro Schaefer

O desespero das trocas deu a tônica da falta de convicção da direção e uma ideia para o futebol do clube. Renato foi demitido ainda em abril, após o clube ser eliminado para o Independiente Del Valle, na Pré-Libertadores, na Arena. Com Covid-19 e isolado em um quarto de hotel, o maior ídolo da história gremista encerrava sua terceira e mais vitoriosa passagem. 

Números de Renato em 2021: 

6 jogos
5 vitórias 
1 derrota

Depois da saída de Renato, que já vinha recebendo críticas pelo baixo rendimento em 2020, o presidente Romildo Bolzan Júnior, que sempre apostou na continuidade dos projetos, buscou Tiago Nunes. Sem clube, o treinador campeão da Copa do Brasil aceitou a proposta e teve um início impressionante. 8 vitórias seguidas e, logo na sequência, o título gaúcho. Entretanto, o rendimento baixou a partir do começo do Brasileirão. Ali, foram dois pontos nas primeiros oito rodadas e sua situação ficou insustentável. Sob seu comando, o time entrou na zona de rebaixamento para nuncar mais sair no Brasileirão 2021. 

Foto: Fabiano do Amaral

Número de Tiago Nunes:
20 jogos
10 vitórias
5 empates
5 derrotas

Para a vaga de Nunes, Romildo apostou na história: em Luiz Felipe Scolari. Um vitorioso no Grêmio e que saberia contornar os desafios que se apresentavam para a campanha de recuperação. O clube conquistou algumas vitórias, mas longe de engrenar como se imaginava. Com Felipão, foram cinco chances de deixar a zona de rebaixamento desperdiçadas. Na última delas, contra o Santos, Tricolor e treinador entraram em comum acordo e ele deixou a equipe. 

Foto: Ricardo Giusti

O debate sempre esteve entre o ídolo optar por um estilo que priorizava a defesa e alguns nomes do elenco preferirem outra forma de atuar. Assim, o time não conseguiu encontrar o equilíbrio para deslanchar e emendar vitórias em sequência. 

Números de Felipão:
21 jogos 
9 vitórias
3 empates
9 derrotas

Contratado por sua campanha de recuperação no América Mineiro, Vagner Mancini chegou para reproduzir seus trabalhos de reação rápida e salvar o Grêmio do rebaixamento. Sem muito tempo para trabalhar e com somente duas semanas cheias, o técnico acabou não conseguindo, se quer, formar um onze definitivo. 

Com muitas trocas jogo a jogo e a falta de um padrão tático, o Tricolor até venceu jogos, entretanto, sempre esteve distante de deixar o Z4. Se no primeiro momento a melhora nas atuações apareceu, os resultados não e eles eram os fundamentais. Foram cinco jogos com uma vitória e quatro derrotas em seu começo. Após a péssima arrancada, os triunfos começaram a aparecer contra os rivais mais frágeis. 

Na chamada "final de Copa do Mundo" contra o Bahia, na Fonte Nova, o treinador viveu seu pior momento. Optando por um tripé de volantes, o time foi amplamente dominado e perdeu por 3 a 1 de maneira constrangedora para um adversário direto. Depois deste contundente revés, o Grêmio reagiu com atuações consistentes contra São Paulo e Corinthians. Antes da última rodada, Mancini ainda viveu um drama pessoal. Ele perdeu a mãe na segunda-feira depois do empate em Itaquera. 

Mesmo chegando com chances na última rodada e vencendo por 4 a 3 o Atlético Mineiro, o Tricolor terminou o ano rebaixado. Com a vitória do Juventude, a equipe de Vagner Mancini terminou em 17°, com 43 pontos somados, distante três do Verdão da Serra.

Números de Mancini:
6 derrotas
2 empates
6 vitórias


Mais Lidas


Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895