Renato admite “culpa” pela derrota do Grêmio, promete conversa e pede para o grupo virar a chave

Renato admite “culpa” pela derrota do Grêmio, promete conversa e pede para o grupo virar a chave

Tricolor volta as suas atenções para o jogo contra o Sport, no Brasileiro, e para a decisão contra o São Paulo, na próxima quarta-feira

Correio do Povo

Renato Portaluppi promete uma nova conversa com os jogadores para superar a desclassificação e manter foco nas duas competições que restam na temporada

publicidade

O gol sofrido pelo Grêmio a 11 segundos de jogo contra o Santos e a ampliação do placar aos 10 minutos foi fatal para as pretensões da equipe tricolor, porém, Renato Portaluppi, como sempre faz, tirou o peso da desclassificação com um 4 a 1 e se colocou como “escudo” do grupo. O treinador admitiu que é o culpado pela derrota nas quartas de final da Libertadores, prometeu uma conversa com os jogadores e defende a mudança de foco imediato para o jogo contra o Sport.

“Se tem algum culpado nisto tudo, sou eu, o treinador. Estamos aqui para buscar os melhores resultados, mas nem sempre vamos ganhar. Não é por uma derrota que vamos achar que está tudo errado. O Grêmio está firme e forte. A gente aprende com os erros. Vamos conversar para que esse tipo de erro não volte a acontecer. Sou o escudo do meu grupo. Vou defender sempre, pois ele é muito bom e muito forte. Tive uma conversa no vestiário e terei outra conversa amanhã. Agora é virar a chave e pensar no Brasileiro”, declarou.

Ao ser questionado sobre os motivos da segunda desclassificação consecutiva na Libertadores com placares dilatados, Renato Portaluppi evitou expor a equipe e tratou como “economia interna”.

“Tem coisas que converso só com o meu grupo. Não adianta ficar falando em público o que aconteceu ou deixou de acontecer”, disse. “Estamos tristes, mas a partir de amanhã (nesta quinta-feira) a gente vira a chave. O Grêmio é muito grande para ficar se lamentando. A gente entende o nosso torcedor, pois também estamos tristes, mas o Grêmio tem mais duas competições. Sabíamos que nas três não iríamos chegar. Infelizmente, saímos da Libertadores, mas vamos virar a chave e pensar no Brasileiro. Na próxima semana, voltamos a pensar na semifinal da Copa do Brasil”.

O meia Jean Pyerre era o reforço que o Grêmio esperava para reverter o empate no jogo da Arena, mas o jovem jogador foi muito bem marcado, errou no primeiro movimento da partida e não teve o destaque esperado. Mesmo assim, o técnico evitou responsabilizar o armador.

“Ele está bem tecnicamente e fisicamente. Não sentiu nada. Tanto é que tivemos todos os cuidados com ele para que pudesse jogar essa partida. O único problema que ele tinha é que estava parado há muito tempo. Quando um atleta fica parado muito tempo, ele sente o ritmo de jogo”, afirmou Renato.

O Grêmio treina nesta quinta-feira em Santos e depois viaja para Recife. No sábado, às 19h, o Tricolor enfrenta o Sport, em jogo válido pela 26ª rodada do Brasileirão. Uma vitória deixará a equipe a dois pontos do Atlético-MG, segundo colocado e que foi goleado pelo São Paulo, na quarta-feira.

Veja Também


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895