Renato reconhece possibilidade de semifinal em Eldorado, mas defende liberação da Arena

Renato reconhece possibilidade de semifinal em Eldorado, mas defende liberação da Arena

Técnico voltou a cobrar bom senso da prefeitura de Porto Alegre sobre a liberação de partidas na cidade

Por
Correio do Povo

Tricolor ficou no empate com o Novo Hamburgo nesta quarta-feira


publicidade

Após o jogo desta quarta-feira, com o Grêmio classificado e o adversário da próxima fase definido – Novo Hamburgo – o técnico do Grêmio, Renato Portaluppi, adiantou que, caso o prefeito de Porto Alegre, Nelson Marchezan Júnior, não libere a realização de partidas na cidade, a semifinal do returno do Gauchão, entre Tricolor e Noia, será disputada no CT Hélio Dourado, em Eldorado do Sul.

Embora reconheça a possibilidade do jogo ser sediado fora da Arena do Grêmio, o técnico voltou a pedir "bom senso" a prefeitura na análise do tema. "Há um interesse de todo mundo para jogarmos na Arena. Mas não cabe a mim, isso é um problema da diretoria juntamente ao presidente e do prefeito. Espero que haja o bom senso para jogarmos lá", relatou. "Espero que o prefeito possa liberar a Arena, mas caso isso não ocorra, jogaremos no nosso CT, que tem um gramado muito bom (...) é como eu falei, esperamos o bom senso sempre para que a Arena seja aberta", disse em coletiva após a partida.

Jogo “pro gasto”

Sobre o desempenho dos reservas no empate, na avaliação do treinador gremista, a sua equipe "deu pro gasto" na partida desta quarta-feira, levando em conta as adversidades impostas pela equipe do Novo Hamburgo e pelo gramado da Arena Alviazul, que não apresentava boas condições. "A gente sabe que quanto melhor o gramado, melhor o futebol. Levando isso em consideração, eu fiquei satisfeito. Toda a equipe se comportou bem, não faltou luta e entrega. É verdade que poderia ser melhor, mas deu para o gasto", afirmou.

Apesar de enxergar influência das condições do campo, o técnico defende que é preciso se "adaptar" a isso, pois, com as determinações pela Covid-19, isso será comum no futebol. "É o novo normal pra todo mundo, inclusive pro futebol. Claro que preferimos gramados bons, pro nosso jogo e até pro adversário poder apresentar-se melhor, mas precisamos aprender a lidar com isso", ressaltou. 

Grêmio segue em busca de um lateral esquerdo

Mesmo com as boas apresentações do jovem Guilherme Guedes, Renato admitiu que o Tricolor segue no mercado em busca de uma terceira peça para a lateral após a saída de Caio Henrique. "A diretoria vem se mexendo. O Guedes vem jogando muito bem, temos também o Cortez, mas antes tinhamos o Caio Henrique, tinhamos três. Quanto mais jogadores numa posição, melhor", afirmou. 

O treinador também aproveitou a oportunidade para se manifestar sobre a venda concretizada pelo Tricolor, de Diego Rosa, de 17 anos, considerado uma joia da base e que não chegou a jogar pela equipe profissional. Segundo Renato, a venda se fez necessária pelo momento financeiro do clube. "O clube precisa sobreviver. Ninguém garante que ele vai estourar em outro clube, e a gente sempre torce pra estourar. Mas o clube precisa sobreviver. Não é o primeiro e nem será o último (a ser vendido sem jogar na equipe principal)", reiterou.