Ricardinho revela que atravessar o campo de joelhos foi promessa feita no velório do pai

Ricardinho revela que atravessar o campo de joelhos foi promessa feita no velório do pai

Jogador perdeu pai e avô pela Covid-19 e prestou homenagem particular após a partida

Correio do Povo

Jovem atacante marcou o gol da vitória no final da partida

publicidade

O Gre-Nal 431 teve um enredo especial e particular para o atacante Ricardinho. Entrando aos 35 minutos do segundo tempo com o jogo empatado, o jovem precisou de oito minutos e um cruzamento preciso do ponta-direita Leo Pereira para marcar o gol da vitória no clássico disputado no estádio Beira-Rio. Após a partida, sozinho, ele atravessou o campo de joelhos, aos prantos, para homenagear pai e avô, vítimas da Covid-19 em março.

"Fazer um gol em uma final, em um Gre-Nal, é uma coisa que não tem como explicar. Fiquei muito feliz. Atravessar o gramado de joelhos foi uma promessa, nem minha mãe e nem ninguém sabia. Foi uma conversa minha com Deus", explicou em entrevista coletiva nesta segunda-feira. "A promessa que eu fiz foi logo quando meu pai faleceu. Falei no velório dele quando estava só eu e ele, que quando fizesse meu primeiro gol iria atravessar de joelhos o campo que estivesse jogando. Era uma coisa minha", acrescentou. 

Ricardinho reiterou a importância para que a população siga se cuidando contra o coronavírus e agradece o apoio de todo elenco. "Quando aconteceu, todo mundo falou comigo. Tive palavras que me confortaram muito do Geromel, do Maicon, do elenco inteiro. Só tenho agradecer ao Grêmio, aos torcedores e a minha família. Sem eles, eu não teria forças para estar aqui hoje", explicou. “A mensagem que quero passar é: se você não tem a necessidade de realmente sair, fique em casa. Use máscara, passe álcool em gel. A pandemia é coisa séria, eu perdi meu pai, meu avô, perdi pessoas queridas. Essa pandemia não acabou ainda", finalizou. 

"Pés no chão" com a vantagem, avalia Ricardinho

O gol e a vantagem para o jogo de volta na Arena, no próximo domingo, não subirão na cabeça da equipe gremista, garante o atacante. "Quero deixar bem claro que todos aqui estamos com pezinho no chão. A gente respeita muito o Inter e ganhamos o primeiro jogo, mas semana que vem tem mais uma batalha". 

Ganhando oportunidades já com o antigo técnico Renato Portaluppi, Ricardinho exalta o trabalho de Tiago Nunes - 100% em sete jogos - e os aprendizados com o grupo. "É muito bom disputar posição com dois jogadores tão bons quanto Diego Souza e Churín, aprendo muito com eles", disse. "O Tiago me falou para me movimentar bastante, incomodar os zagueiros e se sobrasse uma bola fazer o gol. E acabei fazendo".

Veja Também


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895