Romildo acerta detalhes finais de acordo e Grêmio pode administrar a Arena a partir de janeiro
capa

Romildo acerta detalhes finais de acordo e Grêmio pode administrar a Arena a partir de janeiro

Após a Caixa Econômica sair do negócio, todas as partes estão próximas de concluir o novo pacto

Por
Correio do Povo

Grêmio pode adquirir a administração da Arena até o final de dezembro, caso o MP aceite a proposta do clube, OAS e Prefeitura

publicidade

Os próximos 35 dias serão decisivos para o Grêmio adquirir a administração da Arena. A informação foi revelada pelo presidente Romildo Bolzan em entrevista a rádio Itaramã FM, de Tramandaí, nessa segunda. Após a desistência da Caixa Econômica Federal de participar do acerto entre as partes, o clube, a OAS e a prefeitura de Porto Alegre remodelaram a proposta e irão novamente apresentar para o Ministério Público (MP). Uma reunião nesta terça-feira dará uma nova perspectiva sobre a concretização das negociações.

“Se o MP entender que as garantias são firmes, não teremos nenhum problema e vamos para a finalização, que deve se encerrar até o dia 31 de dezembro. (Com o novo acordo) Estamos estimamos economizar entre R$ 80 milhões e R$ 100 milhões. Se o negócio fechar, vamos operar a partir de janeiro ou fevereiro. Os nossos compromissos para o pagamento irão até 2027 e não mais até 2033, como estava em contrato”, revelou Romildo.

O presidente destacou a importância do novo acordo, que dará uma economia ao Grêmio de cerca de R$ 50 milhões, graças a não necessidade de pagar “variáveis tributárias”. “É de interesse de todas as partes. Receberemos a Arena sem nenhum ônus, nenhuma garantia, nenhuma penhora, nenhuma hipoteca ou situação de oneração. Toda ela liberada, o que é um negócio muito interessante para o Grêmio”, destacou.

A expectativa do dirigente é que MP aceite as condições e o negócio seja efetivamente fechado para as partes poderem iniciar as negociações para assumir a administração do estádio. “Uma parte do Olímpico será dado em garantia, no valor de R$ 60 milhões. Ele não é mais do Grêmio. Então, é uma parte do valor que será dado para pagar os bancos, que darão um enorme deságio da conta final. Eles estão de acordo com toda a operação. Falta muito pouco para finalizar todas as partes”, revelou.

Romildo revelou que está confiante no acordo, que trará um novo momento para o clube. “Até 202,7 pagaremos todas as dívidas, com o mesmo fluxo de caixa e ficaremos com a operação do estádio”, concluiu.