Tiago Nunes quer continuidade para o Grêmio seguir crescendo e alcançar as vitórias

Tiago Nunes quer continuidade para o Grêmio seguir crescendo e alcançar as vitórias

Treinador admitiu que casos de Covid-19 “quebraram” a sequência do trabalho e o momento é de retomada

Correio do Povo

Tiago Nunes vê a equipe do Grêmio voltando a crescer e acredita que a vitórias voltarão em breve

publicidade

Após quatro jogos, o Grêmio ainda não venceu no Campeonato Brasileiro, mas, após o empate com o Santos, na Arena, o técnico Tiago Nunes destacou que a equipe voltou a apresentar evolução, “quebrada” depois de muitos casos de Covid-19 no elenco, comissão técnica e funcionários do futebol. Para ele, o resultado foi injusto pelo desempenho do time e pela imposição que teve sobre o adversário. Por isso, prega calma, tranquilidade e dar sequência ao time, que voltou a ter boa atuação.

“Hoje (na quinta-feira) encaixou a organização. Lógico, de acordo com as questões de estratégias e de momento a gente pode fazer alguma alteração em relação a essa organização. Podemos colocar um meia articulador, como coloquei o Jean Pyerre no final do jogo. Ou um mais agressivos. Temos algumas alternativas. (…) Como estratégia de time e modelo de continuidade, o caminho é de dar sequência para o que viemos construindo. Principalmente, para valorizar a boa performance”, destacou.

Nunes ressaltou que o meio campo utilizado com os paulistas deu mais liberdade e presença dos laterais na construção de jogadas, o que facilitou para os atacantes e também para Matheus Henrique e para Bobsin “pisarem na área”. Na partida, segundo o site Sofascore, o Tricolor finalizou 19 vezes, com seis na direção da meta, cinco para fora e oito vezes teve os chutes bloqueados. “Estamos incomodados por não ganhar, mas confiantes pelo que gente vem produzindo para que possamos crescer também em resultado para os próximos jogos”, ressaltou.

Um dos problemas que o Grêmio vem superando nesta sequência sem vitórias foram as ausências geradas pela Covid-19. Para Tiago Nunes, o problema começa a ser superado, mas ainda gera dificuldades.

“Houve uma quebra da continuidade do trabalho. Além dos jogadores que ficaram afastados cerca de 12 dias, eu, meus auxiliares e outros membros do staff que trabalham diretamente com o grupo também fomos afastados. Somos humanos e sofremos com as mazelas desta doença que é terrível. Vivi um caso familiar terrível estes dias. Perdemos um ente muito querido de 36 anos e é um momento muito duro de retomar o ritmo do trabalho que tivemos até a final do Gauchão. Houve uma quebra e estamos demorando um pouco para conseguir ajustar de novo a carga física, técnica, tática, de conteúdos e também ter um pouco mais de sorte. Precisamos valorizar a resposta imediata que os jogadores deram no jogo contra o Santos”, concluiu.

O Grêmio treina nesta sexta-feira, às 15h30min, e no sábado às 10h. No domingo, às 20h, recebe o Fortaleza, na Arena.

O Tricolor é o último colocado do Brasileirão com um ponto, em quatro jogos, com duas partidas a menos que a maioria dos adversários. Já o Fortaleza é o terceiro com 11. Na rodada do meio de semana, o clube cearense sofreu a primeira derrota na competição em seis partidas.

Veja Também


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895