Valores elevados e quantidade de parcelas “esfriam” acerto do Grêmio por Churin

Valores elevados e quantidade de parcelas “esfriam” acerto do Grêmio por Churin

Tricolor gaúcho negocia com Facundo Ferreyra, do Benfica, mas salários podem impedir acerto

Correio do Povo

Negociação por Churin "esfriou" devido a dificuldade de negociar os valores e a forma de pagamento

publicidade

O Grêmio segue tentando reforçar o ataque para o restante da temporada, mas encontra dificuldades no mercado. Segundo a imprensa paraguaia, o acerto com Diego Churin, do Cerro Porteño, “esfriou” nas últimas horas devido aos altos valores exigidos pelo clube e também pela forma de pagamento.

O Cerro exige US$ 3,8 milhões (cerca de R$ 21 milhões) para negociar o principal artilheiro do elenco. Além disso, os paraguaios querem receber o valor em três parcelas e o Grêmio só aceita negociar caso o pagamento seja divido em quatro vezes. As tratativas continuam, mas o futuro do negócio é incerto.

Churin ainda enfrenta um problema com a Justiça do Paraguai. O advogado da contadora do atleta, que supostamente teria enganado o argentino e um companheiro de equipe no pagamento de seus impostos em 2017, deseja impedir a saída dele do Paraguai.

Facundo Ferreyra

Outro jogador que o Grêmio tenta acertar a contratação é Facundo Ferreyra. O argentino de 29 anos retornou de dois anos de empréstimo do Espanyol e retomou os treinamentos no Benfica. Entretanto, o técnico Jorge Jesus informou ao atacante que não pretende utilizá-lo no time principal.

O jogador não tem como se transferir para outro clube europeu, pois as janelas de transferências estão fechadas, então, o Brasil seria uma boa alternativa para ele voltar a disputar a Libertadores da América. Outro ponto positivo para o Grêmio na negociação é a aproximação das direções dos dois clubes, após a venda de Everton Cebolinha para os portugueses.

Veja Também

O problema é o valor dos salários de Ferreyra, que são muito altos para os padrões brasileiros, um dos maiores do elenco do Benfica. Outra dificuldade para o negócio avançar é que os portugueses desejam negociar o argentino, já que ele não vai mais ser utilizado pelo atual treinador.

Facundo Ferreyra surgiu no Banfield, em 2008, e teve passagens pelo Vélez Sarsfield, em 2012, ambos da Argentina, e em 2013 foi vendido ao Shakhtar Donetsk, da Ucrânia. Dois anos depois foi emprestado ao Newcastle, da Inglaterra. Em 2016, retornou ao clube ucraniano e dois anos depois vendido ao Benfica.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895