Gre-Nal 429 coloca ídolos Renato e Abel frente a frente pela primeira vez no clássico
patrocinado por

Gre-Nal 429 coloca ídolos Renato e Abel frente a frente pela primeira vez no clássico

Amigos, recordistas e campeões: duelo de treinadores é mais um elemento em confronto direto pelo título do Brasileirão de 2020

Nicholas Lyra

Renato e Abel se enfrentam pela primeira vez em clássico Gre-Nal histórico

publicidade

Ídolo como jogador e treinador, Renato Portaluppi é o recordista de partidas na casamata gremista. Abel Braga, um dos maiores comandantes da história do Inter, caminha para o mesmo feito no lado colorado, em marca que será batida no confronto diante do Vasco, ainda nesta edição do Brasileirão. No entanto, apesar de os dois ostentarem o recorde de partidas na complicada casamata de Inter e Grêmio, eles nunca se enfrentaram no comando das equipes em clássicos Gre-Nais. O fator, inédito, é mais um entre os tantos componentes que antecipam um grande duelo no domingo, em disputa direta pelo título do Campeonato Brasileiro de 2020. 

Renato está em sua terceira passagem pelo Grêmio. Antes, esteve no clube em 2010 e 2013. Mas as maiores conquistas vieram no trabalho atual. Venceu a Copa do Brasil em 2016, a Libertadores em 2017 e a Recopa Sul-Americana em 2018, além de um tricampeonato gaúcho, reafirmando e garantindo a idolatria. 

Já Abel Braga está em sua sétima passagem pelo Inter. Comandou o clube em 1988, e tem a classificação à final do Brasileiro daquele ano no Gre-Nal do Século no currículo. Depois de outras três oportunidades, voltou em 2006 para a maior glória de sua carreira: venceu a Libertadores e o Mundial sobre o Barcelona, eternizando seu nome na história do clube. 

Amigos, reencontram-se agora em um Gre-Nal. Apesar de já terem duelado em outras oportunidades, defendendo outras camisas. Antes da partida, não pouparam elogios um ao outro nas entrevistas coletivas. Renato citou a “injustiça” cometida com as cobranças excessivas ao trabalho de Abel na chegada, que retribuiu agradecendo a gentileza. 

De acordo com o colunista do Correio do Povo, Hiltor Mombach, o duelo já é histórico antes mesmo de acontecer: “Não é todo Gre-Nal que coloca frente a frente dois treinadores amados por suas torcidas”, resume. A síntese também ajuda a entender o tamanho do respeito pelos treinadores, já que, apesar da rivalidade, os dois são admirados pela torcida adversária.

Na avaliação do repórter do Correio do Povo, Rafael Peruzzo, trata-se de um confronto simbólico, carregado de ainda mais peso por se tratar de um duelo inédito entre os dois no comando da dupla. “Tem um peso muito forte, independente da competição e do momento dos times. Mas que ganha ainda mais importância em uma reta final de Campeonato Brasileiro”, analisa.

Para o comentarista da Rádio Guaíba, Cristiano Oliveira, Abel Braga tem o mérito de reconstruir do zero o trabalho de Eduardo Coudet, dando oportunidades a jovens que estão correspondendo em campo, como Yuri Alberto e Caio Vidal. Já Renato Portaluppi, vitorioso no comando da equipe, apesar de não conseguir fazer o Grêmio apresentar as mesmas atuações de outros tempos, coloca o time em franco crescimento nos Gre-Nais, especialmente na atual temporada. Esses são apenas alguns dos elementos que entram em campo no duelo entre os treinadores.

“Momento mental favorece o Inter”

No que diz respeito ao embate dentro de campo, o Inter está em ligeira vantagem. Líder do Brasileirão e embalado por sete vitórias consecutivas, algo que nenhuma equipe obteve nesta edição, o time de Abel Braga se apresenta em melhores condições, de acordo com o comentarista da Rádio Guaíba, Cristiano Oliveira. “O Inter chega para esse Gre-Nal em melhor momento. O que não quer dizer que vá ganhar. Mas vem de resultados melhores, de sua melhor atuação nos últimos tempos. Já o Grêmio chega com uma série de empates, e já praticamente sem chances de ser campeão”, analisa.

A visão é compartilhada pelo também comentarista da Rádio Guaíba, Carlos Guimarães. Após a vitória do Inter por 5 a 1 diante do São Paulo, Guimarães classificou o resultado no Morumbi como “histórico”, e destacou a força de “competição” da equipe de Abel Braga. “É justamente a questão mental que faz o time competir. As duas coisas estão ligadas. O momento é muito bom, e a confiança é puxada pela sequência de vitórias. Entra com uma capacidade mental melhor”, avalia.

Em contrapartida, Guimarães vê o Grêmio de Renato preso a um modelo de jogo que busca resgatar os melhores momentos da passagem do comandante, em um estilo parecido ao que ocorria em 2017, mais cadenciado. No entanto, esbarra em um nível menor de competitividade para tornar isso algo confiável na comparação com outros tempos. “Obteve os melhores resultados na temporada justamente quando mudou essa característica, na semifinal da Copa do Brasil, diante do São Paulo”, pondera.

Apesar de ser o “rei dos empates” no Brasileirão, Hiltor vê o Grêmio como um time entrosado, mesmo sem apresentar o mesmo futebol de temporadas passadas. Atribui isso especialmente à saída de jogadores ao longo das últimas temporadas e, ainda assim, vê méritos do comandante nessas reposições. “A equipe vem alternando, mas porque o Renato precisou transformar o time, encontrando soluções”, destaca.

“Era jogo para 50 mil pessoas”

Rafael Peruzzo concorda que o momento seja muito favorável ao Inter, e aponta a necessidade de a equipe superar o “fator psicológico” para quebrar o tabu de 11 confrontos sem vitória. Diante do cenário posto, Hiltor Mombach relembrou a citação de que Gre-Nal serve para “arrumar a casa”, e classificou: “Expectativa como poucas vezes se criou nos últimos tempos”, lamentando apenas a ausência de público em tempos de pandemia, para um jogo digno de “50 mil pessoas”.

Abel Braga e Renato Portaluppi se enfrentam pela primeira vez em Gre-Nais neste domingo, às 16h. A partida, válida pela 32ª rodada do Brasileirão, acontece no Estádio Beira-Rio. O Colorado defende a liderança, enquanto o Grêmio busca reaproximação ao pelotão de frente da competição.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895