Inter e outros clubes brasileiros se manifestam contra ditadura no aniversário do golpe de 1964
patrocinado por

Inter e outros clubes brasileiros se manifestam contra ditadura no aniversário do golpe de 1964

Data marca 57 anos da deposição do presidente João Goulart e início da repressão no país

AE e Correio do Povo

Inter foi um dos clubes que relembrou o golpe militar de 1964

publicidade

Alguns dos principais clubes do futebol brasileiro se manifestaram contra a ditadura militar que esteve em vigor no País entre 1964 e 1985 neste dia 31 de março. A data marca os 57 anos do golpe que depôs o presidente João Goulart e iniciou o período de repressão e ausência de liberdades. Clubes como Corinthians, Flamengo, Fluminense, Vasco, Internacional, Atlético-MG, Bahia e Fortaleza, entre outros, repudiaram a ditadura.

O número de clubes se manifestando representa um aumento em relação aos últimos anos - em 2019, por exemplo, apenas Corinthians, Vasco e Bahia relembraram a data e defenderam a democracia. Contudo, ainda há vários dos grandes clubes que não se manifestam.

Tal atitude contrasta com a dos clubes da vizinha Argentina: todos os principais clubes repudiam a ditadura no dia 25 de março, que marca o golpe que instalou a última ditadura no país, em 1973. Alguns times argentinos, como Boca Juniors, River Plate e Gimnasia La Plata instalaram comissões para encontrar histórias de atletas, associados e outras pessoas ligadas ao clube que foram vítimas da repressão.

O Corinthians relembrou as manifestações de seus atletas pela democracia nos anos finais do regime militar, em movimento que ficou conhecido como Democracia Corintiana. O Atlético-MG relembrou as manifestações de seu ídolo Reinaldo, enquanto o Vasco trouxe uma música de seu célebre torcedor Aldir Blanc, cantor e compositor.

Já o Inter relembrou a eleição presidencial de 2020 no clube, a maior em termos de votação de um clube brasileiro na história. 

 


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895