Com um a mais, Inter perde para o Goiás, mas segue líder do Brasileiro

Com um a mais, Inter perde para o Goiás, mas segue líder do Brasileiro

Derrota por 1 a 0 fora de casa foi definida em lance marcado por falha do goleiro Marcelo Lomba

Por
Correio do Povo

Inter de Abel Hernández teve muitas dificuldades ofensivas diante do Goiás, mesmo com um jogador a mais


publicidade

O cenário esteve todo favorável para uma vitória do Inter desde o início do jogo. Muito cedo, a expulsão de Jefferson fez com que jogasse toda a partida com um a mais. Mas os reservas de Coudet estavam pouco inspirados na noite deste domingo, na Serrinha, em Goiânia, e pouco criaram na derrota por 1 a 0 diante do Goiás. 

O único gol da partida foi marcado no fim do primeiro tempo, em falha de Marcelo Lomba. Após bola alçada na área, Vinicius chutou fraco e o goleiro aceitou, definindo o placar, apesar da maior posse de bola colorada no confronto. 

Ainda assim, o Inter se aproveitou da falta de efetividade dos concorrentes diretos para se manter na liderança isolada da competição. Com 20 pontos, tem dois a mais que o vice-líder São Paulo, que empatou com o Santos no sábado. O Colorado dá um tempo no Brasileirão e volta as atenções para a Libertadores. Pela 3ª rodada do grupo E, a equipe encara o América de Cali, na quarta-feira, às 19h15min, no Beira-Rio. Pelo Brasileirão, a próxima partida é no sábado, às 19h, no Castelão, diante do Fortaleza.

Castigo com vantagem numérica

Por conta da Libertadores, o técnico Eduardo Coudet mandou a campo um time praticamente reserva para enfrentar o Goiás. Entre os nomes, o do volante Musto, o meia D’Alessandro e o atacante uruguaio Abel Hernández, que começou entre os titulares pela primeira vez desde a chegada ao Inter. 

Logo a um minuto de jogo, conseguiu uma importante vantagem para a partida. Em jogada pela direita, Marcos Guilherme foi acionado em profundidade. Em entrada muito dura, Jefferson, de carrinho, acertou só a perna do jogador colorado. Mesmo com impedimento marcado, o árbitro foi até o VAR e decidiu por expulsar o jogador, deixando o Goiás com um a menos.

E o Inter tentou se aproveitar da vantagem. Alugou o campo do Goiás e passou a trocar muitos passes em território do adversário. Com mais posse de bola, girou e procurou criar chances de gol, diante de um adversário que, além das dificuldades naturais, esbarrava na inferioridade numérica para sair jogando com qualidade.

Apesar da superioridade, o volume de jogo e a maior posse de bola demoraram para se traduzir em chances de gol. A primeira boa finalização do Inter só aconteceu aos 25 minutos, em cobrança de falta de D’Alessandro, que passou perto do travessão do goleiro Tadeu. Depois, Abel Hernandez recebeu dentro da área e finalizou fraco. 

Sem conseguir criar, o Inter acabou castigado no fim do primeiro tempo. Daniel Bessa bateu falta do lado esquerdo de ataque. A bola ficou viva na marca do pênalti, e Vinicius Lopes se aproveitou. Meio caindo, finalizou de canhota, no canto de Marcelo Lomba. O goleiro colorado tentou segurar, mas falhou, e a bola foi para o gol. Mesmo com 74% de posse de bola, o Inter foi ao intervalo perdendo por 1 a 0 para o Goiás, com um a menos.

Posse de bola não resulta em gol

Na segunda etapa, o Inter precisava reverter o cenário de pouca criação. Para tentar isso, o técnico Eduardo Coudet lançou a campo o artilheiro do Brasileirão, e um dos principais responsáveis pela criação da equipe. Thiago Galhardo entrou no lugar do apagado Praxedes, que mais uma vez pouco acrescentou à equipe.

No entanto, a tônica do primeiro tempo se repetiu. O Inter voltou a ficar muito com a bola, mas não conseguia converter a superioridade em infiltração. Assim como na etapa inicial, rodava a bola sem objetividade, sem conseguir agredir o Goiás. As poucas tentativas de penetração eram originárias de cruzamentos ou escanteios, normalmente neutralizados pela defesa adversária.

A primeira boa chance da etapa final foi criada apenas aos 17 minutos. Pelo lado direito de ataque, D’Alessandro cruzou na cabeça do zagueiro Pedro Henrique. Ele se movimentou bem, fugindo da marcação, e testou forte, levando muito perigo. O goleiro Tadeu foi obrigado a se esticar todo para evitar o gol de empate, mandando para escanteio.

Coudet promoveu outras trocas para tornar o time agressivo. E conseguiu isso especialmente com a entrada de Leandro Fernández. Foi o argentino quem tabelou com Moisés, aos 27 da etapa final. O lateral recebeu de volta e finalizou forte, de primeira, obrigando Tadeu a fazer grande defesa. 

Aos poucos, o Goiás cansou diante da inferioridade numérica. Apesar disso, a pouca inspiração do Inter prevaleceu. Mesmo com mais atacantes, viu Abel Hernández perder gols e a produção ofensiva se esvair diante da falta de efetividade dos cruzamentos. Assim, acabou derrotado por 1 a 0 em um jogo que poderia ter saído com resultado melhor diante do cenário que se apresentou.

Campeonato Brasileiro - 10ª rodada

Goiás 

Tadeu; Edílson, Fábio Sanches, David Duarte e Jeferson; Breno, Sandro e Daniel Bessa; Vinicius, Keko (Caju) e Rafael Moura. Técnico: Thiago Larghi

Inter 

Marcelo Lomba; Rodinei, Pedro Henrique (Leandro Fernández), Cuesta e Moisés; Musto, Edenílson, Praxedes (Thiago Galhardo) e Marcos Guilherme; D’Alessandro (Rodrigo Lindoso) e Abel Hernández. Técnico: Eduardo Coudet

Gol: Vinicius Lopes (44/1T)

Cartões amarelos: Fabio Sanches (Goiás); Cuesta e Praxedes (Inter)

Cartão vermelho: Jefferson (Goiás)

Local: Estádio da Serrinha, em Goiânia (GO)


Data e hora: 13/09, às 18h