Conselho do Inter analisará recursos de Piffero e Affatato nesta quinta e sexta-feira
capa

Conselho do Inter analisará recursos de Piffero e Affatato nesta quinta e sexta-feira

Dirigentes envolvidos em escândalos foram expulsos do quadro social do clube

Por
Fabrício Falkowski

Affatato e Piffero terão recursos contra expulsão do quadro social analisados pelo CD do Inter

publicidade

Vitorio Piffero e Pedro Affatato foram do céu ao inferno em um par de anos. Dirigentes consagrados, que participaram da liderança do clube nos seus momentos de maior glória, eles também o fizeram naufragar em uma sucessão de escândalos e fracassos que culminaram na queda para a Série B e em uma investigação do Ministério Público que parou em denúncia na Justiça. Agora, quase quatro anos após deixarem a direção, eles se preparam para viver, entre amanhã e sexta-feira, aquele que provavelmente será o capítulo final da vida de ambos dentro da história política do clube.

Começa amanhã à noite, com transmissão ao vivo pelos canais do clube para todos os associados, a reunião do Conselho Deliberativo que avaliará os recursos interpostos por Piffero e por Affatato, que foi vice-presidente de finanças na mesma gestão, contra a expulsão de ambos do quadro social do Inter, já decidida pela comissão de ética e disciplinar do próprio CD em maio do ano passado. 

Como os dois dirigentes não aceitaram a primeira decisão e recorreram, o assunto foi para a apreciação do conjunto do CD. Devido à pandemia do coronavírus, a reunião ocorrerá por videoconferência, com a possibilidade de defesa oral por parte de advogados constituídos pelos dois ex-dirigentes com tempo limitado a 30 minutos. A votação, que será nominal, começa na noite de quinta, mas se estende até sexta-feira por meios eletrônicos. O resultado deve ser divulgado minutos após o encerramento do processo.

Apesar de passados tantos anos, não se espera complacência por parte dos 344 conselheiros. Pelo menos dois dos movimentos políticos mais importantes do clube já abriram apoio, e prometem votar em bloco, pela expulsão definitiva de Piffero e Affatato do quadro de associados. Conselheiros experientes, com longa vida política no clube, avaliam que ambos devem ser expulsos com pelo menos 80% dos votos dos conselheiros.

Porém, uma questão importante foi levantada pelo relator incumbido de analisar os recursos. Segundo o parecer elaborado pelo conselheiro Felipe de Oliveira, os fatos que geraram a expulsão, praticados entre 2015 e 2016, não podem mais ser alvos de punição. “Com a devida vênia dos membros da Comissão de Ética e Disciplina, entendo estar prescrita a pretensão punitiva em relação aos fatos que foram objeto da Representação”, observa Felipe de Oliveira no parecer. Além dos advogados dos dois ex-dirigentes, o CD também abrirá a possibilidade para que cinco conselheiros a favor da exclusão e outros cinco contra se manifestem para expor seus pontos de vista.

Devido a uma série de problemas administrativos, Piffero e Affatato, além de outros ex-dirigentes da gestão 2015/2016, foram investigados pelo Ministério Público. No ano passado, após meses de averiguações, eles foram denunciados à Justiça, onde o processo segue tramitando ainda à espera de um julgamento. Além deles, também seriam julgados amanhã pelo Conselho Deliberativo o ex-vice de patrimônio Emídio Marques Ferreira e o ex-vice de administração Alexandre Limeira. Porém, eles pediram desligamento do quadro social antes do caso chegar à comissão de ética. Um fato que pesa contra os ex-dirigentes é que será divulgada como cada conselheiro votou no processo, sendo que as duas expulsões serão avaliadas separadamente.