Edenílson afirma que não houve conversa com grupo do Inter sobre demissão
capa

Edenílson afirma que não houve conversa com grupo do Inter sobre demissão

De acordo com o meia, decisão foi da direção, e garantiu que jogadores respeitam a hierarquia do clube

Por
Correio do Povo

Edenílson elogiou o ex-técnico do Inter, mas garantiu que jogadores respeitam a hierarquia do clube

publicidade

Na tarde desta sexta-feira, o meia Edenílson concedeu entrevista coletiva e falou sobre os acontecimentos recentes no Colorado. Ele foi o primeiro jogador a falar após a demissão do técnico Odair Hellmann, que não resistiu à pressão no cargo após a sequência de maus resultados, que culminou na sua saída após a derrota para o CSA por 1 a 0, em Alagoas, na quarta-feira.

De acordo com o jogador, não houve nenhuma conversa por parte da direção com o grupo. Segundo ele, foi uma decisão exclusiva da direção. Edenílson destacou, ainda, o apreço pelo técnico Odair Hellmann. "Querendo ou não, estamos no G6. Mas a gente respeita a hierarquia do clube", resumiu.

Edenílson destacou ainda que houve pouco tempo de trabalho com Ricardo Colbachini, técnico da equipe de aspirantes e que irá comandar o Inter diante do Santos, neste domingo. "Ele não vai ter tempo de treinar a equipe, mas vamos tentar aplicar as ideias dele. Vamos conversar, ver os vídeos e ver o que podemos fazer", disse.

O jogador reconheceu o momento complicado pelo qual o clube passa, na sequência de resultados negativos que culminaram com a queda do treinador. Apesar disso, afirmou que trata-se de algo comum no futebol. "Precisamos reverter isso o mais rápido possível e vencer o Santos", projetou.

Em relação ao momento ruim, Edenílson admitiu a perda da confiança, especialmente após a final da Copa do Brasil. No entanto, afirmou que o grupo precisa retomar a "solidariedade" entre os jogadores para voltar a conquistar resultados positivos. "Antes, quando um companheiro errava, o que estava mais próximo ajudava. Talvez a gente tenha abandonado isso", reconheceu.

O Inter volta a campo para enfrentar o Santos, no Beira-Rio, no domingo, às 16h, em jogo válido pela 25ª rodada do Brasileirão.