Edenilson fala em Inter “mais encaixado com Odair” e prega “acordo” com todos do clube
capa

Edenilson fala em Inter “mais encaixado com Odair” e prega “acordo” com todos do clube

Questionado sobre a saída Melo, volante destacou que todos tinham boa relação com o ex-vice, mas preferiu não opinar

Por
Correio do Povo

Edenilson pregou um acordo entre todos do departamento de futebol para corrigir erros e focar na vaga pela Libertadores

publicidade

O volante Edenilson pede conversa entre os jogadores e a comissão técnica do Inter para sanar os problemas que a equipe vem apresentando nos últimos jogos e buscar uma nova postura para obter a vaga para a Libertadores. Para o jogador, a forma de atuar implementada por Zé Ricardo trouxe dificuldades para um time que estava acostumado a trabalhar de uma forma que dava maior atenção ao aspecto defensivo.

“A mudança sempre te dá algo diferente. Foi assim desde a primeira partida com o professor Zé Ricardo. A gente tentou implementar novas coisas, mas tivemos pouco tempo para treinar. É uma maneira de jogar diferente daquela utilizada pelo Odair (Hellmann). Eramos um time mais encaixado e mudamos para outra, que, às vezes, deu certo e em outras não. Temos que entrar em um acordo todo mundo, conversar com o professor e corrigir os erros. É um grupo experiente e temos que fazer de tudo para alcançar essa vaga”, afirmou Edenilson.

O volante também foi questionado sobre a saída do vice de Futebol, Roberto Melo, anunciada na quinta-feira pelo presidente Marcelo Medeiros. “O Roberto era um cara que estava aqui praticamente todos os dias acompanhando o dia a dia. Participou ativamente do processo de reconstrução de 2017 até aqui. Um cara que tínhamos boa relação. Fomos pegos com certa surpresa, mas é uma decisão superior e não cabe a nós dizer se foi bom ou ruim. É um cara que nos ajudou bastante”, declarou.

Fortaleza e Goiás como exemplo

Com dois jogos fora de casa e um dentro do Beira-Rio, o volante pregou que o Inter atue da mesma forma como Goiás e Fortaleza fizeram contra o Colorado em seus domínios. “Temos como pegar de exemplo o que os times fizeram no Beira-Rio com a gente. Com todo o respeito, não estou dizendo que seremos o Fortaleza e o Goiás, mas eles demonstraram organização, nos atacaram e aproveitaram os espaços. Então, é isso que temos que fazer fora também”, concluiu.

Após conceder a entrevista, Edenilson e os companheiros deixaram o CT do Parque Gigante e se deslocaram para o Beira-Rio para mais um treino fechado para a imprensa e torcida. Na sequência, o Colorado almoça e se desloca para o Rio de Janeiro. No sábado, às 19h, os comandados de Zé Ricardo enfrentam o Botafogo, no Engenhão, para tentar a primeira vitória após três partidas seguidas, dois empates e uma derrota.