Eleições no Inter podem ser adiadas para 2021

Eleições no Inter podem ser adiadas para 2021

Movimento busca transferência do processo eleitoral por meio de alteração estatutária

Fabricio Falkowski

Inter deve ter eleição adiada para 2021

publicidade

Começa a tomar corpo um movimento para adiar a eleição para presidente do Inter, marcada para novembro, em primeiro turno, e dezembro, em segundo. Pelo menos dois conselheiros devem ingressar com requerimentos para transferir o processo eleitoral para depois do Campeonato Brasileiro. A medida exige uma alteração estatutária que precisaria ser aprovada pelos associados.

A ideia surgiu após ficar evidente a possibilidade de um confronto eleitoral entre ao menos dois integrantes da atual diretoria em um ano no qual o Inter surge como líder do Brasileirão. O 2º vice eleito, Alexandre Chaves Barcellos, e o vice de futebol, Alessandro Barcellos, que não são parentes, podem ser candidatos.

O presidente Marcelo Medeiros também evita o assunto, mas já disse a pessoas próximas que aceitaria permanecer por mais dois meses. “Disputas políticas acirradas em meio às competições atrapalham. Não tenho dúvida disso”, afirmou o conselheiro Felipe de Oliveira, um dos que apoiam a mudança nas datas. “É preciso adiar a eleição em nome de um interesse maior, que é buscar a conquista desse título que há tantos anos tentamos”, disse Roberto Siegmann.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895