Empresa responsável pelo VAR admite "falha técnica" no jogo entre Vasco e Inter

Empresa responsável pelo VAR admite "falha técnica" no jogo entre Vasco e Inter

Hawk-Eye informa que comunicou problema a arbitragem e o protocolo de manter decisão de campo foi seguido

Correio do Povo

Colorado venceu por 2 a 0 o Vasco em São Januário

publicidade

Após ter sido acionada pela Comissão Nacional de Arbitragem da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), a Hawk-Eye, empresa responsável pela operação dos equipamentos do VAR e a utilização das linhas de impedimento, admitiu a ocorrência de um problema técnico durante a partida entre Vasco e Inter. Segundo a empresa, o software funcionou normalmente durante toda a partida, à exceção do momento da checagem da posição de Rodrigo Dourado no primeiro gol colorado, quando os sistemas estavam descalibrados "pelo baixo ângulo das câmeras, em conjunto com a sombra se movendo no campo" em São Januário.

Por meio de nota, a Hawk-Eye afirmou que a ocorrência é "muito incomum no software" e o sistema passou a ser recalibrado imediatamente depois do problema ter sido constatado. No entanto, o processo não foi finalizado quando a revisão foi solicitada. Conforme o comunicado, a situação foi repassada a equipe do VAR, que informou para o árbitro de campo. Este, seguiu o protocolo de manter a sua decisão inicial de validar o gol.

No domingo, a Comissão da CBF já havia informado que a jogada foi checada pela equipe do VAR atrás das câmeras. "Não sendo constatado nenhum erro claro da arbitragem de campo, foi corretamente mantida a decisão de validar o gol."

Por fim, a empresa pede desculpas à CBF e aos torcedores pelo transtorno e inconveniente. 

Vasco buscará anulação da partida no STJD 

O erro do VAR, admitido pela CBF e pela Hawk-Eye, fará com que o Vasco entre no Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) para buscar a anulação da partida. A derrota para o Colorado manteve a equipe carioca em situação delicada no Brasileirão. 

Já no gramado, os vascaínos protestaram contra a situação. Na beira do campo, o técnico Vanderlei Luxemburgo reclamou dizendo: "Não pode seguir o jogo, porque podemos ir pra a segunda divisão por causa deste gol".

O lateral-esquerdo Neto Borges classificou como inaceitável e colocou a derrota vascaína na "conta da arbitragem". "Era uma decisão para nós e para o Internacional também. Inaceitável um erro de arbitragem do jeito que foi no primeiro gol deles. Estávamos com a cabeça boa, lutamos até o fim, mas infelizmente tomamos o segundo gol que liquidou a partida. Não gosto de falar de arbitragem, mas essa acho que a gente pode colocar na conta deles", reclamou o lateral.

Veja Também


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895