Eventual saída de Aguirre em 2022 vira preocupação no Inter

Eventual saída de Aguirre em 2022 vira preocupação no Inter

Clube tem a intenção de fortalecer equipe na próxima temporada, mas montagem passa também pela permanência do treinador

Fabrício Falkowski

Eventual saída de Aguirre em 2022 vira preocupação no Inter

publicidade

A temporada não acabou e ainda reserva compromissos e metas importantes, mas de alguma forma, 2022 já começou a ser trabalhado nos bastidores do Beira-Rio. A ideia é montar um time um pouco mais forte, mantendo a base do atual grupo e acrescentando algumas peças. A permanência de Diego Aguirre também era um objetivo, mas talvez não se confirme devido ao assédio da seleção uruguaia ao treinador. Por isso, o sentimento é de apreensão entre os dirigentes, que não gostariam de trocar outra vez o comando do time.

Desde que desembarcou, em junho, Diego Aguirre conquistou a confiança do grupo com um estilo que concilia paciência, conversa, tranquilidade e bastante trabalho. Não se trata de um profissional com estilo revolucionário, mas que conseguiu montar uma equipe com alguma eficiência. Tanto é que o Inter, sob o seu comando, ascendeu na tabela do Campeonato Brasileiro.

Veja Também

Como ele tem contrato até o final de 2022, a permanência era algo definido no clube. Porém, isso mudou no final de semana, quando Óscar Tabárez balançou no cargo de técnico do Uruguai. No próprio domingo, antes mesmo da derrota do Inter para o Palmeiras no Allianz Parque, a permanência de Tabárez foi confirmada em Montevidéu. Porém, o prazo que o técnico ganhou para buscar melhores atuações da Celeste é o final do ano, quando serão disputados mais dois jogos das Eliminatórias da Copa. Atualmente, o Uruguai está na quinta posição na tabela e, se permanecer assim, teria que disputar uma repescagem contra uma seleção asiática.

No Beira-Rio, é consenso que, em caso de uma investida da seleção, será praticamente impossível segurar o profissional, ainda mais em ano de Copa do Mundo. Se Tabárez cair, Aguirre será mais uma vez procurado e muito provavelmente aceitará o convite. Ele não confirmou essa tendência na entrevista coletiva após a partida contra o Palmeiras, mas deixou claro que seria uma situação totalmente nova. “Eu me sinto muito melhor com algo que começa e termina. Estou muito feliz no Inter. Às vezes, as coisas acontecem e você não imagina. Minha ideia é cumprir o contrato com o Inter. Estou fazendo o melhor possível para continuar. Gosto de falar de coisas concretas, de certezas. Isso (trabalhar na seleção uruguaia) é uma possibilidade que, se aparecer, vamos ter que ver. Mas hoje, está tudo tranquilo”, completou.

Diego Aguirre é o terceiro técnico que trabalha no Inter em 2021, sem contar o interino Osmar Loss. O primeiro foi Abel Braga, que encerrou o último Campeonato Brasileiro com o segundo lugar, deixando o título escapar na última rodada, já no final de fevereiro. Depois, veio Miguel Ángel Ramírez, cuja falta de experiência foi fatal para o seu fracasso no Beira-Rio.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895