Guerrero, Bruno, Odair e Melo são denunciados por incidentes na partida contra o Flamengo
capa

Guerrero, Bruno, Odair e Melo são denunciados por incidentes na partida contra o Flamengo

Atacante peruano será julgado por dupla ofensa e, em cada uma delas, pode pegar até seis jogos de suspensão

Por
Correio do Povo

Guerrero pode suspenso por até seis jogos, mas ainda pode ter a pena dobrar, pois, além dos xingamentos ao árbitro, ele teria ofendido a torcida adversária

publicidade

O Superior Tribunal de Justiça Desportiva julgará na próxima sexta-feira, na sede da entidade no Rio de Janeiro, os jogadores do Inter Guerrero e Bruno, além do técnico Odair Hellmann e do vice de futebol, Roberto Melo, pelos episódios registrados na derrota para o Flamengo, por 3 a 1, no Maracanã. O julgamento ocorrerá na Quarta Comissão Disciplinar, a partir das 10h.

Segundo denúncia, Guerrero será julgado pelo cartão vermelho direto que recebeu por ofender o árbitro Luiz Flavio de Oliveira, além de provocação para a torcida do Flamengo que teria feito enquanto deixava o gramado. Por esses eventos, o atacante responderá por dupla ofensa a arbitragem no artigo 243-F, e por provocar o público durante a partida no artigo 258-A. Pelas ofensas, o peruano pode ser multado em até R$ 100 mil e pegar suspensão de até seis jogos. Já pela provocação, a pena é de duas a seis partidas.

O lateral Bruno será julgado pela expulsão no lance do pênalti em Gabriel Barbosa. Segundo denúncia da promotoria, o lateral foi enquadrado no artigo 250 por praticar ato desleal ou hostil. A pena pode variar entre uma e três partidas de suspensão.

Odair Hellmann e Roberto Melo serão julgados pelas declarações que deram durante as entrevidtas coletivas após a partida. Segundo consta na denúncia, o técnico e o dirigente “criticaram de forma desrespeitosa a atuação da arbitragem principal e do árbitro de vídeo (VAR)”.

"Passei mais de um ano sem comentar sobre arbitragem. Quem deveria estar dando explicação aqui era o Luiz Flávio e o (Leonardo) Gaciba (chefe de arbitragem da CBF). O VAR passeou hoje no Maracanã. Aí, muda a história do jogo", registra o site da entidade como uma declaração de Odair.

Sobre as declarações de Melo, a página oficial do STJD destaca que o dirigente afirmou que era uma vergonha a atuação da arbitragem e que o Flamengo “não precisava”, pois o adversário faz grandes jogos e lidera a competição. O responsável pelo departamento de futebol chegou a afirmar: “não que ele esteja mal intencionado no sentido de nos prejudicar deliberadamente, mas o que ele fez é vergonhoso”.

Melo ainda comparou o chefe da arbitragem da CBF, Leonardo Gaciba, com um ator. “Porque seu Gaciba faz umas papagaiadas, vai aos clubes, faz apresentações, se exibe, se filma como se fosse ator apresentando. Ele diz uma coisa e acontece outra”, disse o dirigente.

Na oportunidade, o vice de Futebol ainda afirmou que não iria a CBF escutar os áudios gravados entre os árbitros nos lances reclamados. Melo não foi, mas o Inter mandou representantes.

“Por que em três gols nossos contra a Chapecoense todos tiveram a intervenção? Hoje, (o VAR) sequer foi chamado. Qual a orientação que eles tinham? E os lances todos duvidosos foram a favor do Flamengo, ou contra o Inter. Causa indignação. Porque jogar nove contra 12 é duro", teria declarado Melo após a derrota.

O dirigente será julgado pelos artigos 258, inciso II, por desrespeitar a arbitragem, e no 243-F, por ofensa. Pelo desrespeito e por não ser integrante que participa efetivamente dos jogos, a pena é de suspensão 15 a 180 dias, enquanto a ofensa prevê multa entre R$ 100 e R$ 100 mil e suspensão que pode variar entre 15 e 90 dias.

Odair responderá pelo artigo 258, inciso II, tem como punição a suspensão entre uma a seis partidas.