Inter acerta a folha de pagamento após atraso de salários
capa

Inter acerta a folha de pagamento após atraso de salários

Quitação após 19 dias foi possível graças ao aporte da linha de crédito especial da CBF

Por
Fabricio Falkowski

Inter acertou folha de pagamento após 18 dias de atraso


publicidade

Após 19 dias de atraso, o Inter conseguiu quitar a folha de pagamento dos seus jogadores. A curta espera não chegou a assustar o grupo, principalmente devido à relação de confiança que há com os dirigentes, mas transformou em real um temor que existia desde o início da pandemia. A partir de agora, caso a bola não volte a rolar em um curto espaço de tempo, os atrasos deverão tornar-se quase uma rotina. 

Desde aqueles dias no final da gestão de Vitorio Piffero no comando do Inter, no final de 2016, o ano que o clube foi rebaixado, os salários estavam em dia. “Conseguimos pagar os salários hoje (ontem) e vamos pagar os direitos de imagem referentes a maio até sexta-feira”, afirmou ontem à tarde, aliviado, o vice-presidente de finanças do clube, Lauro Hagemann. 

Segundo Hagemann, o pagamento só foi possível porque o clube recebeu R$ 7,5 milhões de uma linha de crédito especial da CBF. Na verdade, porém, não é uma receita extra ou um “dinheiro novo”, mas apenas uma antecipação de receitas que o clube teria até o final do ano e em 2021. Ou seja, o dinheiro traz um alívio momentâneo para o fluxo de caixa, mas posterga o problema para o futuro. 

Hagemann confirma que a situação financeira do Inter é muito grave e, conforme o próprio presidente Marcelo Medeiros já falou em algumas entrevistas, só será amenizada com a venda de um jogador na próxima janela de transferências. 

Projeto de suplementação 

Nas próximas semanas, a diretoria deve apresentar um projeto de suplementação orçamentária para a apreciação do Conselho Deliberativo, mas isso só será possível quando os dirigentes conseguirem enxergar o tamanho do rombo nas finanças que a paralisação do futebol provocou ao clube. 


Em recente reunião, o CD já foi informado da gravidade da crise e da necessidade de uma suplementação orçamentária. Até abril, o Inter acumulou um déficit de R$ 51,2 milhões no ano. Agora, esse número está bem maior, já que as despesas não minguaram na mesma proporção das receitas.