Inter admite busca por reforços, mas alerta para as dificuldades financeiras

Inter admite busca por reforços, mas alerta para as dificuldades financeiras

Presidente Alessandro Barcellos acha injusto as cobranças sobre o desempenho de Rodrigo Dourado e Edenílson

Correio do Povo

Presidente Alessandro Barcellos considerou injusta as críticas de parte da torcida e da imprensa sobre Rodrigo Dourado e Edenílson

publicidade

A derrota para o tradicional adversário na final do Gauchão faz parte do passado e o foco passa a ser a Libertadores e a estreia no Brasileiro, porém, a direção do Inter segue vasculhando o mercado para reforçar o elenco. A princípio, um zagueiro e um volante devem ser contratados. O presidente Alessandro Barcellos admite que o clube busca se reforçar, mas alerta para as dificuldades financeiras do Colorado.

“A torcida sabe as dificuldades financeiras que o clube vive. Ela não nos permite fazer investimentos como já foi feito  no clube (sem critérios). Elas serão com muito critério e com as condições técnicas necessárias para que se adapte a nossa forma de atuar e ao elenco. Que esteja dentro das condições financeiras, para que possamos honrar nossos compromissos. Temos responsabilidades com o grupo e elas não são pequenas”, declarou.

O mandatário destacou que o departamento de futebol e a comissão técnica trabalharam diariamente para fazer o time do Inter ser ainda mais forte, mas, com as limitações financeiras, as contratações precisam ser muito bem estudadas para que erros não ocorram. Barcellos ainda rechaçou as críticas feitas aos desempenhos de dois dos principais jogadores do elenco: Rodrigo Dourado e Edenílson.

“Não concordo. Seria injusto falar de dois jogadores que sempre se entregaram muito ao Inter. Hoje (no Gre-Nal de domingo) foram heróis dentro de campo. Se adaptaram ao modelo do treinador. São peças fundamentais e vem crescendo de produção. Se adaptaram há vários esquemas de jogo e sempre foram titulares. É exagerado a forma como está sendo tratado esse assunto”, concluiu.

O técnico Miguel Ángel Ramírez também foi questionado se o time não precisa de reforço e evitou falar publicamente sobre o tema. “Desde que acertei o contrato como Inter, avaliei todos os jogadores e falei aqui, aqui e aqui (mostrando quais jogadores eram necessários para o grupo ser competitivo). A direção está trabalhando nisso, mas não vou vir na coletiva e falar o que preciso para a imprensa. Quando cheguei pedi para avaliar e ver o rendimento que todos teriam com este modelo de jogo. Os dirigentes estão trabalhando nisso”, resumiu.

O Inter volta aos treinos nesta segunda-feira para iniciar a preparação para o jogo contra o Always Ready. Se empatar com os bolivianos avança para as oitavas de final da Libertadores. O jogo está marcado para quarta-feira, às 19h, no estádio Beira-Rio.

Veja Também


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895