Inter mira mudança de filosofia e pensa em liberar atletas com desempenho irregular

Inter mira mudança de filosofia e pensa em liberar atletas com desempenho irregular

Colorado quer deixar de ser um time reativo para ser uma equipe protagonistas dos jogos

Fabrício Falkowski

Leandro Fernández é um dos jogadores que devem deixar o Inter

publicidade

Passado mais um Brasileirão, que ficará para a história como aquele que escapou dos colorados na rodada final dentro do Beira-Rio, começa a reconstrução. Após o empate com o Corinthians, Abel Braga despediu-se dos jogadores e retomou o seu lugar na história. Agora, os dirigentes tratam dos últimos detalhes do contrato de Miguel Ángel Ramírez, que deve ser anunciado como novo técnico do Inter nos próximos dias. Mudanças no grupo de jogadores também são esperadas. A ideia é liberar atletas que não serão utilizados, jovens ou mais experientes, cujo desempenho nessa e nas temporadas anteriores foi irregular, para buscar outro lugar para jogar. 

Veja Também

Assim, o espaço necessário para o surgimento e a afirmação dos jovens seria aberto. O lateral Uendel, que está no Inter desde 2016 e tem contrato até o final deste ano, é um deles. Outro é o atacante Leandro Fernandéz. A mudança principal, porém, não está nos nomes, mas na filosofia. O plano dos dirigentes é, além de trabalhar mais com a base e investir na ciência de dados para analisar o próprio desempenho e dos adversários, ganhar uma nova postura em campo. O Inter de 2021 quer abandonar o futebol reativo para ser protagonista do jogo. É aí que entra Ramírez, técnico que trabalhou em clubes menores da Espanha e destacou-se no Independiente del Valle, do Equador, onde conquistou o título da Copa Sul-Americana de 2019. 

As primeiras conversas com o técnico ocorreram ainda antes da eleição que colocou Alessandro Barcellos na presidência. O próprio presidente negociou com o treinador, oferecendo-lhe um projeto de trabalho que seduziu o espanhol. Ramírez alinhavou a sua vinda para o Beira-Rio, embora não tenha assinado o contrato. Neste momento, ele está na Espanha, mas já recusou, nas últimas semanas, propostas do São Paulo e do Santos. Ou seja, apesar de não ter nada assinado, sua contratação pelo Inter é questão de tempo.

Após o jogo contra o Corinthians, ainda no Beira-Rio, Alessandro Barcellos agradeceu o trabalho de Abel, não poupando elogios ao profissional de 68 anos que encerrou a sua sétima passagem pelo clube. Mas já projetou o futuro. “Terminou o Brasileiro. Agora, vamos começar a tratar efetivamente da contratação, dos acertos, ajustes e da forma de trabalho. Tivemos algumas conversas antes de assumirmos que precisam ser validadas e retomadas agora. É o que será feito. Quando as coisas estiverem encaminhadas, vamos comunicar ao nosso torcedor”, disse.

O Inter deve estrear no Gauchão segunda-feira, contra o Juventude. Porém, praticamente todo o grupo que encerrou o Brasileirão foi dispensado ontem e só volta em dez dias. O Inter começa a competição sendo representado por um time alternativo, formado especialmente por jovens sob o comando do técnico Fábio Matias. O centroavante Paolo Guerrero, praticamente recuperado de uma grave lesão sofrida em agosto, deve usar os primeiros jogos da temporada para readquirir ritmo.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895