Inter reclama da arbitragem e questiona pênalti e expulsão envolvendo Guerrero
capa

Inter reclama da arbitragem e questiona pênalti e expulsão envolvendo Guerrero

Melo disse que atuação de árbitro dá margem para desconfiança e Odair avaliou que desempenho e o resultado passaram pela atuação de Luiz Flavio de Oliveira

Por
Correio do Povo

Técnico reclamou da arbitragem na derrota do Inter para o Flamengo por 3 a 1

publicidade

Após a derrota por 3 a 1 para o Flamengo no Maracanã, na noite desta quarta-feira, a arbitragem pautou os discursos de jogadores, comissão técnica e direção do Inter. A indignação foi dirigida ao critério de Luiz Flavio de Oliveira ao não marcar um suposto pênalti em Paolo Guerrero e na expulsão do centroavante peruano, que deixou o clube gaúcho com dois a menos ainda no primeiro tempo. 

O lateral Uendel iniciou a série de protestos. Disse não concordar com a expulsão de Guerrero, e que o atacante poderia ter sido advertido de outra forma que não o cartão vermelho direto. "Muda completamente o jogo. Com dois a menos, tivemos que mudar a estratégia, e ainda conseguimos o mais difícil, que era o empate", lamentou.

Edenílson também reclamou da expulsão do lateral Bruno, no pênalti que originou o primeiro gol do Flamengo. "Já tínhamos sido penalizados com a marcação. Não sei porque ele deu o cartão vermelho direto. Tentamos fazer a nossa partida, num jogo que já era complicado. Temos que seguir trabalhando", resignou-se.  

O vice-presidente de futebol do Inter, Roberto Melo, subiu o tom da reclamação. "Não dá para dizer boa noite depois do que aconteceu hoje. Vou medir as palavras para falar, o que eu tenho vontade de falar é muito mais do que eu posso falar. É uma vergonha. O que o juiz fez aqui no mínimo nos dá margem para desconfiança. O Flamengo não precisa disso, vem fazendo grandes jogos, liderando o campeonato. Não digo que ele esteja mal intencionado no sentido de nos prejudicar deliberadamente. O que ele fez é vergonhoso. Seu Gaciba faz umas papagaiadas, vai aos clubes, faz apresentação, se exibe, se filma como se fosse ator apresentando. Ele diz uma coisa e acontece outra", disparou.  

Em sua manifestação, o técnico Odair Hellmann avaliou que o desempenho e o resultado passaram diretamente pela má atuação do árbitro Luiz Flavio de Oliveira. Segundo o treinador, que frisou que não costuma reclamar da arbitragem, houve pênalti em Gabigol. No entanto, contestou as expulsões do lateral Bruno e do atacante Paolo Guerrero, assim como reclamou a não marcação do pênalti no peruano. "Quem deveria estar aqui dando explicações era o Gaciba (chefe da comissão de arbitragem da CBF) e o Luiz Flavio", desabafou.

Segundo Odair, a expulsão de Paolo Guerrero foi injusta, e considerada um momento determinante para a mudança do rumo do jogo. "Com dois a menos, tivemos bravura, raça e comprometimento, mas ele acabou com a partida", resumiu.

Odair disse não se lembrar de outra situação em que viu sua equipe ficar com dois jogadores a menos, e disse que a situação até é trabalhada nos treinamentos. No entanto, o aspecto físico pesa nestes momentos. E lamentou a circunstância do segundo gol do Flamengo. "Estávamos bem postados. Era quase impossível fazer o gol de empate e, ainda assim, conseguimos. Por isso doeu mais", declarou.