Lindoso rebate críticos, nega ser armador e diz fazer função defensiva
capa

Lindoso rebate críticos, nega ser armador e diz fazer função defensiva

Volante cita Liverpool para destacar que "erros acontecem" e assegurou que há trabalho para corrigi-los

Por
Correio do Povo e Rádio Guaíba

Lindoso voltou a afirmar que auxilia os atacantes, mas tem como principal função atuar defensivamente

publicidade

Rodrigo Lindoso foi o primeiro jogador que falou em coletiva após a derrota do Inter para o Grêmio, no sábado, na semifinal do primeiro turno do Gauchão, e negou que a desclassificação possa atrapalhar o clube na disputa contra o Tolima, que começa na quarta-feira. O volante voltou a falar sobre os erros que a equipe tem cometido nestes 40 dias de Eduardo Coudet no comando e ressaltou que todos estão imbuídos de colocar em prática o que pede o treinador. Porém, fez questão de explicar mais uma vez quais são as suas funções.

“Se pegar imagens de cima e ver o papel que desempenho é praticamente igual ao que vinha fazendo ano passado. Não quero falar para não dar dicas, mas sempre protejo os laterais e dou opção de linha de passe por dentro para os zagueiros, além de ser a proteção para o Edenílson, Boschilia e todo o ataque. Muitos acham que estou atuando de armador, mas, na verdade, não é isso. Fico chateado que as pessoas falam que estou em uma função errada e mal sabe eles o que o nosso treinador pede. Creio que estou fazendo bem e vamos corrigir jogo a jogo”, destacou.

Lindoso defendeu Musto das críticas que vem recebendo desde o intervalo do jogo do último sábado no Beira-Rio, quando acabou expulso ao receber o segundo cartão amarelo por ter segurado Diego Souza em um contra-ataque. “Ele é um jogador de contenção. A chegada dele tem que ser forte. Eu e ele somos jogadores defensivos. Foi um fato isolado e aconteceu. Muitos falam que dava para fazer isso ou aquilo, mas temos frações de segundo para tomar uma decisão. Foi infeliz, mas é coisa do futebol. Temos que ficar mais esperto na questão de perder um jogador, mas ninguém quer ser expulso. Conversamos entre a gente e o foco é no jogo dificílimo da quarta-feira”, destacou.

Com um mês e dez dias de trabalho, o volante ressalta que a equipe ainda não está pronta, precisa evoluir e que sofre devido a preparação acelerada pela necessidade de disputar a pré-Libertadores. “Tivemos dois jogos antes da estreia e acabamos pulando etapas de coisas que o Coudet queria fazer. Analisando pelo lado bom, pegamos durante os jogos, que é o mais importante. Claro, alguns erros acontecem, mas buscamos corrigir nos treinos”, afirmou o volante.

“O melhor time, que hoje é o Liverpool, também tem ideias boas, mas também sofre contra-ataques. Toma pressão. Fica marcando baixo. Isso tudo acontece. O que falamos que temos que corrigir e trabalhar é para minimizar os erros. Em especial, os bobos que acabam em gol”, concluiu.

O Inter viaja para Tolima a partir das 15h. Na terça-feira, o Colorado treina na Colômbia e, na quarta, disputa o primeiro jogo da terceira fase da pré-Libertadores. O jogo está marcado para as 21h30min.