capa

Marcelo Medeiros não descarta "contratação ousada" no Inter para o segundo semestre

Presidente do Colorado negou parceria com investidores para possíveis reforços

Por
Correio do Povo e Rádio Guaíba

Marcelo Medeiros falou sobre possíveis contratações para o segundo semestre

publicidade

* Com informações de Bruno Ravazolli 

Em entrevista ao repórter Bruno Ravazolli, para a Rádio Guaíba, na tarde desta terça-feira, o presidente do Internacional, Marcelo Medeiros, não descartou a possibilidade de uma "contratação ousada" para o segundo semestre. 

Questionado sobre o assunto, admitiu que é possível sonhar com reforços pontuais, algo que já vem sendo feito pelo departamento de futebol. Citou a chegada de Paolo Guerrero, no ano passado, como exemplo recente. "Fizemos uma contratação de peso, e o Guerrero mostrou que é um jogador extra-classe. A comissão técnica trabalha com movimentos cirúrgicos para trazer essas peças", pontua. 

O presidente evitou falar em nomes, mas foi questionado a respeito de dois jogadores com passagem pelo Internacional. Na semana passada, o Correio do Povo deu a informação de que o Inter estava negociando a volta de Taison. Outro nome citado foi o de Charles Aránguiz, atualmente no Bayer Leverkusen, da Alemanha. "O Taison esteve aqui semana passada. Assistiu ao treino, acompanha o Inter. Mas tanto ele quanto o Aránguiz têm situações muito estáveis em seus clubes", desconversou o presidente. 

Ainda sobre as contratações, praticamente descartou a possibilidade de ser utilizada a figura do investidor, com aporte financeiro para trazer esse nome de peso. "Não temos esse cenário desenhado. A figura do investidor talvez não seja necessária", frisou. 

Medeiros também falou sobre a possibilidade da saída de jogadores. Citou que nada foi formalizado pelo lateral Iago, mas que o jogador está na vitrine, fazendo bons jogos pelo Inter e em uma competição de expressão como o Torneio de Toulon. Segundo ele, não houve propostas por nenhum outro jogador do elenco Colorado. 

Por fim, falou sobre D'Alessandro, próximo da marca de 450 jogos com a camisa do Internacional. Citou que trata-se de algo que "tem que ser valorizado, principalmente nos dias atuais, em que o jogador não fica no mesmo clube". No entanto, preferiu não se manifestar quanto a renovação de contrato do argentino: "Uma coisa de cada vez", finalizou.