Medeiros exalta grupo do Inter e fala em resgatar autoestima da torcida
capa

Medeiros exalta grupo do Inter e fala em resgatar autoestima da torcida

Presidente condenou a palavra "mercenários" dirigida aos jogadores

Por
Correio do Povo

Patrick teve atuação irregular diante do Fluminense no domingo

publicidade

Vitória sim, contentamento não. Inter e torcida não estão em sintonia neste fim de temporada e o clima é prejudicial para uma equipe que busca uma vaga para a Libertadores de 2020. Mesmo com o triunfo sobre o Fluminense nesse domingo, o Colorado não agradou quem estava nas arquibancadas, principalmente pelas dificuldades encontradas durante o segundo tempo. Após a partida, o presidente Marcelo Medeiros decidiu se manifestar, condenando o vandalismo de parte da torcida no final de semana, mas exaltando o grupo com a lembrança de que esses jogadores foram os responsáveis por levar a equipe à final da Copa do Brasil. 

"Não falo depois do jogo, mas em razão do protesto com vandalismo, quebra quebra, com instrumentos cortantes sendo jogados em direção a funcionários do clube, eu me vi na obrigação de me dirigir à comunidade colorada. Primeiro para deixar claro que foi este grupo de jogadores que nos levou para a final da Copa do Brasil, uma decisão que perdemos. Criou-se uma frustração muito grande, mas a frustração criada é do tamanho da expectativa. E essa expectativa é fruto do trabalho realizado por esses atletas e pelo departamento de futebol. Faltam seis jogos e o Inter está na briga. Vamos lutar como lutamos nos últimos três jogos, resgatando a autoestima do nosso torcedor pela vaga e por uma melhor colocação no Campeonato Brasileiro", disse. 

Medeiros considerou "inaceitável" chamar o plantel do Inter de mercenário. "Reconhecemos que caímos de produção. Tivemos oscilações depois da perda da Copa do Brasil, mas não falta empenho. Eu já comandei o departamento de futebol na condição de diretor e vice-presidente e o que não falta aqui é trabalho. Falta desempenho em determinadas partida? Falta! Mas do outro lado há 11 jogadores. O ambiente hostil que existe no Beira-Rio precisa ser para o adversário e hoje se viu parte da torcida criticando um time que estava ganhando de 2 a 0. Até a maioria dos torcedores vaiaram aqueles que estavam criticando, mas faz parte. Futebol é resultado", afirmou.