Melo cita Copa do Brasil, mas frisa necessidade de reação do Inter
capa

Melo cita Copa do Brasil, mas frisa necessidade de reação do Inter

Dirigente voltou a ressaltar foco total no Brasileirão e pediu critério ao árbitro de vídeo após dois gols anulados pelo VAR

Por
Correio do Povo

Rodrigo Lindoso marcou único gol na vitória Colorada sobre a Chapecoense por 1 a 0

publicidade

O Inter ainda tenta se curar das feridas deixadas pela derrota na final da Copa do Brasil, no meio de semana, diante do Athletico-PR. Pelo menos essa foi a tônica dos discursos após a vitória por 1 a 0 sobre a Chapecoense, na manhã deste domingo, no Beira-Rio. O vice de futebol Colorado, Roberto Melo, foi um dos que engrossou o discurso neste sentido.

Em sua coletiva, Melo chegou até a soltar um palavrão na entrevista coletiva para definir o sentimento de todos – grupo de jogadores, comissão técnica, dirigentes e torcedores – após perder o título em casa na quarta-feira. "Ficamos muito magoados. Mais uma vez, queria agradecer ao apoio do nosso torcedor. Hoje, o mais importante era vencer", destacou.

O dirigente ressaltou a tristeza e o trabalho interno feito pelo Inter para tentar resgatar a confiança após a perda do título, reafirmando a necessidade de reagir rápido por conta do pouco tempo no futebol para lamentar as derrotas. "Fizemos uma grande campanha, mas temos que continuar trabalhando diariamente. É uma dor que não vai passar nunca, vai doer para sempre. Mas precisamos reagir e olhar pra frente", frisou.

Agora, o Inter passa a pensar exclusivamente no Brasileirão. Ao fim do ano, Melo deixou claro a necessidade de buscar resultados positivos a cada rodada, porque, para o dirigente, ainda há possibilidade para brigar pelo título nacional. "Restam muitos pontos, já vi muito campeonato mudar. Tem que brigar para vencer contra adversários diretos. Temos feito bons jogos, o que devolve a confiança para o torcedor", disse. "Temos que estar preparados para enfrentar todos."

O vice de futebol ainda reclamou da postura da arbitragem na manhã deste domingo. O Inter teve dois gols anulados pelo VAR na partida. No segundo, a bronca foi grande. Na visão do dirigente, não houve falta de Edenilson no defensor da Chapecoense. Ele classificou como "absurda" a anulação do gol: "O VAR está sendo usado de uma maneira que nos preocupa, especialmente pelo critério. Se fosse por aquele contato, teríamos uns dois pênaltis por jogo no Guerrero. São lances que sequer deveriam ser chamados pelo VAR", desabafou.

Agora, o Inter se prepara para enfrentar o Flamengo, pela 21ª rodada do Brasileirão. O confronto acontece no Maracanã, às 21h30min de quarta-feira.