"No início, clubes vão pagar para jogar", diz vice do Inter sobre volta do público

"No início, clubes vão pagar para jogar", diz vice do Inter sobre volta do público

Emilio Papaléo Zin disse que clube se prepara internamente em processos para a volta da torcida

Correio do Povo / Rádio Guaíba

Inter ainda enfrenta problemas financeiros

publicidade

O vice de futebol do Inter, Emilio Papaléo Zin afirmou, em entrevista à Rádio Guaíba nesta sexta-feira, que no início, haverá dificuldades para os clubes na volta do público aos estádios. Na sua avaliação, clubes vão "pagar para jogar" no início. 

Ele destacou as ações que o Inter tem feito para agilizar a operação da volta ao público. Nesta quinta-feira, o governo do Estado autorizou a retomada, com uma série de regras, como a limitação de 40% por setor e a capacidade de, no máximo, 2,5 mil pessoas. "Estamos nos preparando internamente. Temos o cadastro dos associados. Mas ainda não há muitas definições", citou.

Isso porque a decisão da volta no Brasileirão depende da CBF e dos demais estados, garantindo a isonomia da competição. Papaléo citou uma reunião com a FGF, nesta sexta-feira, e que trata-se de uma "costura trabalhosa" para a retomada. "No início, vamos pagar para jogar. E ainda somos reféns dos efeitos da pandemia, no aspecto econômico", avaliou.

O Governo do Estado deve publicar até este sábado o decreto com os protocolos e a regulamentação para a retomada do público nos jogos. O Inter volta a campo só em 13 de setembro, segunda-feira, quando enfrenta o Sport, às 20h. A partida, válida pela 20ª rodada, acontece na Ilha do Retiro.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895