No Inter, Kaique Rocha exalta nova chance no Brasil e destaca polivalência

No Inter, Kaique Rocha exalta nova chance no Brasil e destaca polivalência

Zagueiro de 20 anos, que chega do futebol italiano, revela experiências até como lateral na Europa

Correio do Povo

Jogador de 20 anos chega por empréstimo de dois anos

publicidade

O mais novo contratado do Inter, Kaique Rocha, de 20 anos, foi apresentando no final da tarde desta quinta-feira, no estádio Beira-Rio. Após passagem pela Sampdoria, da Itália, o zagueiro chega por empréstimo de dois anos ao Colorado e enalteceu a nova chance no futebol brasileiro depois da experiência na Europa. “Sou um Kaique muito mais experiente do que quando saí daqui com 18 anos. Aprendi muito na escola italiana, uma das melhoras no sistema defensivo. Minhas expectativas são as melhores possíveis. Vamos lutar pela vaga na Libertadores e almejo títulos nessa passagem aqui”, afirmou o defensor, que vestirá a camisa 3.

Ainda sobre suas funções no exterior, Kaique recordou os ensinamentos do experiente técnico Cláudio Rainieri, que comandou a Sampdoria na última temporada e já venceu o o campeonato inglês com o modesto Leicester. “Aprendi muito com ele. Ele me ensinou que não poderia atuar somente de um lado. Aí, me ensinou a ser lateral também. Por isso garanto: esses dois anos lá fora não foram em vão”, pontuou. 

A expectativa é que o novo reforço esteja à disposição do treinador Diego Aguirre assim que ele precisar. Na Sampdoria, ele trabalhou normalmente na pré-temporada. “Estou um tempo sem jogar jogos oficiais, hoje me sinto pronto. Acabei de sair de um pré-temporada. Estou no meu auge da condição física. Se Aguirre precisar, estou pronto”, explicou. 

Sobre suas credenciais, o atleta se define como um defensor com boas condições. “Eu me considero um zagueiro bom nas bolas áreas, técnico e veloz. Aqui no Inter, temos grandes nomes e quem atuar com toda certeza vai dar conta do recado”, definiu-se. Como o próximo jogo só ocorrerá no dia 13, contra o Sport, Kaique aproveitará o tempo para se adaptar a equipe e conhecer seus companheiros: “É até difícil no Brasil ter esse longo tempo de descanso. É muito importante para mim e para o Gustavo Maia. Para nos adaptarmos e entendermos o que o Aguirre vai querer da gente”. 

Veja Também


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895