Odair defende rotação de atletas e lamenta "desencontro" do Inter contra o Fluminense
capa

Odair defende rotação de atletas e lamenta "desencontro" do Inter contra o Fluminense

Técnico considerou que estratégia tem dado certo e reclamou da arbitragem

Por
Correio do Povo

Times foi derrotado por 2 a 1 no Maracanã

publicidade

O técnico Odair Hellmann lamentou momentos de desconfortos do time do Inter na derrota contra o Fluminense e voltou a defender seu sistema de alternância de jogadores, sem repetir times partida após partida. "Temos muitos desafios, estamos em três competições e trabalhando para recuperar os jogadores, colocar em campo as equipes mais forte possíveis. Não é fácil manter nível psicológico, técnico. Queremos estar bem em todos os torneios", comentou, avaliando que o primeiro tempo do revés de hoje foi de igauldade "em termos de construção, criatividade".

"Terminamos melhor, criamos oportunidades perigosas e no segundo sentimos a intensidade, perdemos agressividade", disse o treinador, que avaliou que o primeiro gol dos cariocas, quando o meia Zé Gabriel estava fora do gramado para atendimento médico, foi fundamental para a queda de rendimento. "É um time de posse de bola, e no momento em que sai o jogador de campo, eles conseguiram amplitude e esse cruzamento, coisa que não tinham conseguido antes. Nos próximos 10 minutos, cresceram e meio que nos desencontramos, o que faz parte do processo de confiança. Terminamos fazendo o gol e com boa posse, mas infelizmente não foi possível para empatar a partida", analisou.

El não sem escondeu o incômodo com o fato da equipe não ter ganhado fora de casa pelo Brasileirão. "Já fizemos jogos  para vencer, mas a vitória não aconteceu. Se o que não deu hoje não foi suficiente, vamos trabalhar para melhorar. São coisas que a gente tem que ajustar". Odair também criticou a arbitragem da partida e a forma como um princípio de confusão foi controlado. Nos quatro minutos de acréscimos, ele deu mais um, mas não adicionou. Eles mesmo deu outro! Quando a pessoa vai cobrar, vai falar que ele deu um minuto a mais mas não colocou no relógio. não tem diálogo. É inexperiente e de difícil acesso. A forma que ele encontra é dar amarelo. Talvez tivéssemos um minuto a mais para dar pressão", comentou.

Ao ser questionado sobre a possivilidade de repetiir jogadores, defendeu que não é inviável, pois os atletas estão preparados, mas isso pode acarretar problemas. "Tem times que estão sofrendo por lesões de jogadores em momentos decisivos, como o Flamengo. Manter o nível de três em três dias durante dois meses, isso eu afirmo que não tem como. O risco de lesão e baixar a performance existem, então não tem como repetir time com isso", avaliou o técnico, que considera que a estratégia colorada tem dado certo, pois o Colorado "segue vivo" nos três torneios em que está inscrito.

Ele ainda afirmou que não tem uma equipe 100% formada para o confronto contra o Cruzeiro, na Copa do Brasil, na quarta-feira, por conta da lesão de Rodrigo Lindoso. O comandante informou que é preciso avaliar a situação. "Vamos esperar esses três dias para que a gente possa recuperar todo mundo e colocar todo mundo em campo para que a gente possa conseguir um bom resultado fora de casa", concluiu.