Odair destaca luta e apoio do torcedor, mas admite: "Não foi o nosso dia"
capa

Odair destaca luta e apoio do torcedor, mas admite: "Não foi o nosso dia"

Técnico explicou o motivo das trocas e revelou que árbitro ameaçou expulsar o lateral Bruno

Por
Fabrício Falkoswki

Odair Hellmann reconheceu pontos fortes do Athletico-PR e pediu foco no Brasileirão

publicidade

Um Odair Hellmann emotivo apareceu para conceder entrevista após a derrota para o Athletico Paranaense. Falou da frustração pela perda do título, da tristeza que viu entre os torcedores após o jogo no Beira-Rio e do trabalho realizado até aqui. Ele está há 22 meses no cargo, sendo um dos treinadores mais longevos do Brasil.

Em alguns momentos da entrevista, o técnico pareceu segurar o choro, mas as suas palavras foram fortes. "A gente entregou tudo que podia para conquistar esse título juntos com o torcedor. Penso que a gente até merecia, mas futebol é bola na rede. A construção do caminho de vencer está correta. Não foi hoje, infelizmente, mas vamos para o Campeonato Brasileiro para tentar disputar a ponta de cima da tabela. Vamos seguir a nossa caminhada", enfatizou o treinador.

Ele fez questão de elogiar o trabalho dos dirigentes, lembrando que o clube está recuperando-se de uma etapa muito complicada de sua trajetória. Saiu da segunda divisão, mas ainda não recontruiu-se de forma completa, algo para qual um título nacional como a Copa do Brasil teria papel fundamental.

"Essa direção assumiu o clube sem dinheiro, mas muito sem dinheiro. Não era pouco não. Era muito. E o que se faz sem dinheiro no futebol? Sabe o que fizemos? Fomos criativos para melhorar o grupo e o plantel, para que a gente desse um salto. A direção fez todo o esforço. Manteve o salário em dia, apesar do déficit tremendo do clube. Está tudo em dia. A direção lutou para dar as melhores condições. E a gente lutou com criatividade", disse o técnico, orgulhoso do seu trabalho e dos que o cercam.

Ele já projeta o Campeonato Brasileiro como um todo e, mais especificamente, a partida contra a Chapecoense, domingo, no Beira-Rio. "Há ajustes que podem ser feitos e erros cometidos. Temos que corrigir sempre, nas derrotas e nas vitórias. O Inter não ganhou um título nesse 1 ano e 10 meses que estou no cargo. Jamais queríamos que isso (perda da Copa do Brasil) tivesse acontecido, principalmente dentro do Beira-Rio. Mas a caminhada é sólida. Nós vamos conseguir. Não foi hoje, infelizmente, mas vamos conseguir. Uma hora, se vocês estiver na parte de cima da tabela, uma hora vai acontecer", enfatizou.

tante abatido, o técnico Odair Hellmann concedeu entrevista coletiva para tentar explicar o que deu errado na noite desta quarta-feira, no Beira-Rio. A derrota por 2 a 1 em casa para o Athletico-PR, diante de apoio total do torcedor, que lotou o estádio, custou ao Inter o título da Copa do Brasil, que ficou com os paranaenses. 

O técnico reforçou que o Inter está no caminho certo, que a construção para as vitórias está correta. No entanto, ela ainda não aconteceu. "Não foi hoje. Não foi o nosso dia, infelizmente. Todos queremos um título, mas nós vamos conseguir. Não foi hoje, mas uma hora isso vira, e vai virar para nós. Tenho certeza", ponderou.

Após a derrota, Odair fez questão de reconhecer e agradecer o apoio do torcedor, não apenas na final, quando lotou o Beira-Rio e quebrou o recorde de público do estádio, com mais de 50 mil pessoas, mas ao longo de toda a caminhada da competição. "Nos ajudou, nos deu força até o final, para que a gente pudesse conseguiresse título. Mas não conseguimos, infelizmente", lamentou.

Ele reconheceu a ausência de D'Alessandro como um fator que atrapalhou o desempenho, mas não atribuiu a derrota exclusivamente ao desfalque. Ele também explicou as trocas, e a entrada de Sobis para tentar "situações diferentes". Também disse que o árbitro ameaçou expulsar o lateral Bruno e, por isso, trocou o jogador. "Falei com o Bruno no intervalo, ele já tinha cartão amarelo. Com essa situação, era preciso tomar uma atitude", explicou.

O técnico identificou os méritos do Athletico-PR, que conseguiu ajustar a marcação para fazer uma partida muito sólida e, ao mesmo tempo, levar perigo com atacantes de extrema velocidade. "A cada momento do segundo tempo, o jogo ficou mais nervoso. Passaram a desajustar o nosso jogo e ficar cada vez mais perigosos nos contra-ataques", avaliou.

Agora, o Inter passa a focar na disputa do Brasileirão, e espera "levantar o mais rápido possível" após a perda do título. Atualmente, o Inter está no G4 da competição, e terá um turno inteiro para brigar pelo título. "Dia de total tristeza hoje. Mas vamos jogar com todas as forças, o planejamento para domingo é ganhar. Vamos vir aqui e buscar a vitória, para conseguir disputar o título. Essa é a meta", avisou.

O Inter volta a campo no domingo, às 11h, no Beira-Rio, para enfrentar a Chapecoense. O jogo é válido pela 20ª rodada do Brasileirão, a primeira do returno.